O Centro de Pesquisa da Funorte (CP) em parceria com a diretoria acadêmica da instituição realizou no dia 23 de março, reunião com professores orientadores de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de todas as áreas de ensino da Funorte. O evento aconteceu no campus JK e teve o objetivo de ampliar a visão dos profissionais sobre o conceito do TCC e a maneira que a pesquisa pode transformar a realidade da sociedade ou aumentar as possibilidades de atuação do estudante.

O coordenador geral do CP, Àrlen Duarte, deu boas-vindas aos professores e frisou a importância da discussão da abordagem. “O principal foco deste tema é mostrar que os problemas que estão no mercado e os problemas das pessoas, não são fatos isolados da nossa localidade. Então, esse momento foi importante para gerar uma reflexão nos professores, ampliar um pouco a visão de cada um, mostrar que existem várias oportunidades de pesquisa que podem agregar valor na comunidade e, principalmente, que Montes Claros precisa ser o nosso campo de estudo e nosso local de pesquisa, pois existem vários problemas próximos e, às vezes, pensar em um projeto complexo não é tão relevante para a comunidade, pois, em muitos casos, problemas simples que enxergamos no nosso cotidiano, possui uma necessidade muito maior de pesquisa e de observação para a busca de soluções”. E completa: “Além disso, o professor, por meio desta reflexão, sugere uma mudança de comportamento nos estudantes. Então, se conseguirmos ampliar essa reflexão e fazer com que o professor entenda melhor a função do TCC, conseguiremos fazer com que o aluno também entenda de forma diferente”, frisou o coordenador.

Aberto para discussão de opiniões, o evento também contou com sugestões de professores e direção. A diretora acadêmica da Funorte, Thalita Pimentel destacou que o objetivo das propostas é mudar o foco da pesquisa para que atendam às necessidades e transformem para melhor a realidade que os estudantes vivem. “O intuito foi criar um momento provocativo, pois queremos que as perspectivas dos trabalhos desenvolvidos façam com que o aluno possa transformar o lugar onde ele vive; ele não precisa esperar que a mudança venha de autoridades que governam a cidade; pelo contrário, pode contribuir com o pouco do seu conhecimento. E, como professor de TCC, orientando este aluno a buscar o tema da pesquisa que ele fará, que o docente possa orientá-lo sobre uma pesquisa que possa mudar a realidade de fato. Então, a proposta é permitir que todos possam enxergar outras áreas que podem ser pesquisadas ou, até mesmo, a própria área sobre outro olhar”, ressaltou a gestora.

Convidado para ministrar palestra sobre a importância da pesquisa, o sociólogo e Mestre em Desenvolvimento Social, Gilson Santos, falou sobre o tema “Transformar, diagnosticar, pesquisar” e abordou sobre três pesquisas realizadas em Montes Claros. Segundo Gilson, “Montes Claros é reflexo de tudo que acontece no país; seja no campo econômico, mercado de trabalho e outras áreas. Então, selecionei algumas pesquisas com perfis diferentes, mas que abraçam várias abordagens, entre elas uma análise do mercado de trabalho e uma avaliação de usuários internos de um hospital da cidade. Estas são pesquisas amplas, por exemplo, no mercado de trabalho posso pesquisar sobre quantos profissionais atuam como dentistas na cidade, assim como saber o perfil do profissional, a faixa etária prevalente ou se há diferença de salário entre homens e mulheres. Mas o principal objetivo que quero mostrar, é que a pesquisa pode assumir um aspecto transdisciplinar, ou seja, pode alcançar vários temas que são importantes em uma área, mas que abrangem outras especificações e se tornarem um campo de pesquisa para estudantes de outras áreas de ensino”, concluiu Gilson.

Centro de Pesquisa

Além de todo o trabalho envolvendo o processo de criação e incentivo a publicação dos artigos científicos, o Centro de Pesquisa disponibiliza espaços físicos criados para serem locais de referência para os discentes e docentes no que diz respeito ao TCC da FUNORTE e demais atividades de pesquisa na instituição. Os ambientes possuem computadores e baias que podem ser utilizados pelos orientadores e estudantes nas discussões.

O processo de orientação de projetos e artigos científicos acontecem, em geral, quinzenalmente e os estudantes são orientados durante escrita do trabalho e prática, em casos de projetos que necessitam de pesquisa de campo.

Para mais informações sobre o CP, entre em contato pelo telefone (38) 2101-9288 / 98829-0619 ou procure o local em uma das unidades Funorte.

Fotos e Texto: Greiciely Rodrigues

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *