Durante programação da noite do segundo dia do I Congresso Norte Mineiro de Segurança Pública, organizado pelo curso de Direito das Faculdades Funorte em parceria com instituições de segurança pública, foram abordados diversos temas ligados à intervenção contra a criminalidade no estado de Minas Gerais.

Para prestigiar os debates, direção, coordenação e estudantes do curso de Direito Funorte estiveram presentes no evento, que aconteceu no Espaço OAB Eventos. Segundo a diretora da unidade Funorte São Norberto, Sueli Nobre, “as temáticas das palestras de hoje tratam sobre a a questão do homicídio e intervenção contra o crime organizado. Acredito ser uma noite bastante proveitosa, pois todos os temas são instigantes e causam curiosidade nos participantes”, frisou a gestora.

O coordenador do curso de Direito Funorte, Edson Cosme Filho, falou sobre a programação do dia e ressaltou sua expectativa para o segundo dia de palestras. “Hoje, tivemos um painel sobre violência no trânsito e a intervenção que a Polícia Civil e Militar realiza, no sentido de garantir a segurança da população. Além de um painel sobre violência contra a mulher, em que foi tratado feminicídio; entre outros temas que são extremamente valiosos para a formação dos estudantes. Agora, estamos com palestras sobre homicídio e a intervenção de diversos agentes da segurança pública e acredito que será uma discussão bastante interessante”, destacou.

Dentre as palestras da última noite, estiveram “A Moderna Perspectiva da Investigação Criminal”, ministrada pelo Dr. Henrique Hoffman – Delegado de Polícia do estado do Paraná; “A PMMG e o combate às organizações criminosas no estado de MG”, ministrada pelo Cel. PM. Dr. Giovane Gomes da Silva – Comandante do Policiamento Especializado de MG; e, por fim, o tema “A Redução do Número de Homicídios no Município de Montes Claros”, ministrada pelo Dr. Richardson Xavier Brant – Juiz de Direito.

Segundo o palestrante, Dr. Hoffman, “A investigação criminal é extremamente importante em qualquer estado democrático de Direito. É algo que faz parte da segurança pública junto com a atividade de prevenção e, os estudos têm dado uma nova roupagem para este tema. Então, meu objetivo foi desmitificar muito do que foi dito até hoje sobre investigação criminal e apresentar nova argumentação com uma visão mais recente do inquérito policial. Também vou abordar a divisão de atribuições entre os órgãos policiais e mostrar o papel e importância de cada agente policial”, completou o delegado.

O comandante do Policiamento Especializado de MG, Dr. Giovane Gomes, destacou a maneira como a PM tem atuado frente às organizações criminosas e ao crime organizado. “Tive a satisfação de ministrar uma palestra demonstrando como a PM tem atuado frente às organizações criminosas, demonstrando a evolução criminal dessa modalidade e como ela se constitui, mas, ao mesmo tempo, demonstrando que a polícia mineira, seja ela Militar ou Civil, tem desenvolvido protocolos e técnicas operacionais capazes de combater a criminalidade organizada. Temos obtido excelentes resultados, seja na prisão ou durante os conflitos que, infelizmente, são inevitáveis, porém, não temos nenhum policial militar morto nestes últimos anos. Temos, também, garantido à sociedade, que acaba sendo vítima dessas ações, a preservação da vida, principalmente desse crime, que tanto tem nos assustado que é o Novo Cangaço, que são os ataques às agências bancárias, principalmente em cidades menores”, frisou.

Dr. Giovane completou apresentando dados atuais sobre a intervenção do órgão em ações do estado. “Em relação ao público que participa do congresso, é importante que conheçam a PM, que é patrimônio do povo mineiro, nossas técnicas e protocolos e tenham certeza que nós respeitamos as leis, pois somos também operadores do Direito e estamos no caminho certo, cada vez mais ofertando uma vida mais tranquila para a sociedade. Em função disso, tivemos 48% de redução no ano de 2018 até o mês de setembro, da atuação de crime organizado no estado de Minas Gerais, seja através da atuação da PM ou Polícia Civil”, completou.

Durante palestra de encerramento do segundo dia de evento, o Juiz de Direito, Dr. Ricardson Xavier, ressaltou sobre a redução dos níveis de homicídio em Montes Claros após a criação da Delegacia de Homicídio na cidade. “Eu abordei como se forma o profissional e quais contribuições para uma formação profissional que fosse mais ampliada, no sentido da criminologia; para permitir uma visão melhor do que acontece na realidade e a correlação disso com a dogmática penal, debatida nas universidades. Após, houve discussão sobre os números de homicídios em Montes Claros, que se reduziram a partir da criação da Delegacia de Homicídio de Montes Claros e como uma ação integrada da Polícia Militar, Polícia Judiciária, Ministério Público e Judiciário e Defensoria Pública, podem melhorar os índices de criminalidade e redução do número de homicídios de uma região”, frisou.

Para o acadêmico do 5º período que presenciou as abordagens, Frederico William, “o evento aborda uma temática muito atualizada, tanto para o advogado que vai atuar na área Penal como de modo geral. Além disso, é interessante porque aborda a temática de segurança pública no norte de Minas, região inserida nos altos índices de crimes violentos, assim como outros tipos de criminalidade”, concluiu o estudante.

 

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *