Entre os dias 15 e 17 de agosto, a Universidade Estadual de Montes Claros realizou o CIED – I Congresso Internacional de Educação: diversidade, formação e saberes docentes, evento com o objetivo de buscar a compressão da diversidade humana e da necessidade de fortalecer a ciência na sua matriz interdisciplinar.

Para tal, foram definidos os seguintes eixos temáticos para a submissão de trabalhos científicos, na perspectiva da Diversidade, Formação e Saberes docentes: Educação e Regimes de Conhecimento Indígena; Educação do Campo; Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos; Relações Étnico-Raciais e Afrodescendência; Gênero e Diversidade Sexual; Pessoas com Deficiências e Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD); Ensino Superior: Formação e Saberes Docentes.

A coordenadora do Centro de Pesquisa (CP) do Campus São Norberto e professora do curso Direito, Vilmária Cavalcante Mota, explica sobre a relevância da publicação de artigos. “Há uma obrigatoriedade no CP, que todos os artigos (pelo menos a maioria deles) sejam publicados e apresentados em eventos. Assim, a instituição exige que esses artigos sejam publicados, sendo essa exigência uma motivação para que esses alunos façam os Trabalhos de Conclusão de Curso. Desse modo, os trabalhos ficam submetidos à apreciação de bancas, não só para revistas, mas, também em eventos como o CIED”, fala.

A mestra, doutoranda em Desenvolvimento Social e Docente da Funorte, Maria Fernanda Fonseca, que possui um grupo de pesquisa reconhecido pelo CNPq (Conselho Nacional de Pesquisa), apresentou três artigos durante o evento. Foram eles: “A possibilidade de aplicação da lei Maria da Penha para transgêneros”, “A política municipal de assistência social e as medidas socioeducativas em meio aberto: avanços e desafios” e “A teoria social do reconhecimento em Honneth e as uniões poliafetivas”.

Segundo ela, “a Funorte é uma instituição forte na pesquisa, pois conta um CP fortalecido e organizado, além de incentivar e proporcionar aos alunos e professores a participação em eventos deste porte. Esta participação é de extrema relevância, pois favorece o aprimoramento de saber e compartilhamento de experiências”, frisou.

Egressa do curso de Direito da instituição, Marina Bezerra dos Santos, contou sobre o trabalho apresentado juntamente com o professor da instituição, Antônio Luiz Salgado, com tema “Valorização das Negociações Coletivas pela Reforma Trabalhista”. Ela ressalta que, “o evento conta participação de psicólogos, cientistas sociais, economistas, entre inúmeras profissões que são diretamente relacionadas ao Direito e, essa interdisciplinaridade, é extremamente enriquecedora e essencial ao profissional do Direito. E contribui, ainda, para a prática da escrita e oratória. Por isso, é algo que deve ser incentivado desde os primeiros períodos”, frisou a advogada.

A acadêmica do 10° período do curso de Direito, Áklla Tayná Gusmão, também apresentou um projeto. O tema do artigo foi “A possibilidade de Aplicação da Lei Maria da Penha para transgêneros”. Ela destaca que, “o evento é de extrema importância, pois, além de possibilitar o encontro de pessoas com os mais diversos pensamentos, também nos permite expor nossas opiniões e ideias, independentemente do curso que atuamos. Foi incrível poder adquirir novas perspectivas com os temas que foram apresentados por todos. A visibilidade que o evento traz para as temáticas é significativa”, finalizou.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *