No dia 15 de dezembro, estudantes da Pós-graduação em Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica das Faculdades Funorte participaram de aula especial em parceria com o Conselho Federal de Farmácia. O evento faz parte do projeto Transformação Farmacêutica, iniciativa coordenada pelo conselheiro estadual de Farmácia de Minas Gerais, Gerson Pianetti.

Daniela Domingues, representante da equipe gestora do projeto, falou sobre a satisfação de promover o evento na Funorte. “Temos uma satisfação muito grande em trazer para Montes Claros um treinamento com o objetivo de proporcionar ao farmacêutico uma formação holística sobre o cuidado e a promoção da saúde do paciente. Nós tivemos um momento de advento e transformação profissional que incide tanto sobre o meio acadêmico com a mudança das diretrizes curriculares nacionais quanto no campo de atuação, onde, cada vez mais, o profissional farmacêutico é solicitado e demandado para o cuidado à saúde”, frisou.

A coordenadora da pós-graduação em Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica, Cleia Almeida Prado falou sobre a importância da parceria. “O curso Transformação Farmacêutica é uma iniciativa do Conselho Federal de Farmácia através do conselheiro estadual de Minas Gerais. Hoje, temos a oportunidade de proporcionar aos estudantes um treinamento e trabalhar em prol do desenvolvimento da construção farmacêutica”, destacou Cleia.

Também coordenador da pós-graduação, Felipe Alvarenga citou o diferencial que esta experiência terá na formação dos profissionais. “Quando recebemos profissionais do Conselho Federal de Farmácia, estamos capacitando os nossos alunos para que sejam diferenciais na Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica, que é uma tendência da nossa profissão, que abre espaço para a formação do farmacêutico no cuidar da saúde”, disse.

Durante a programação, a psicóloga Michele Peixoto, que atua na Atenção Primária, ministrou palestra com tema “Procedimentos necessários ao atendimento do farmacêutico no processo da Farmácia Clínica”. Segundo ela, “O foco da palestra é abordar sobre questões relativas à aspectos psicológicos, comunicação, estudo de personalidade, entre outros temas. As aulas vão ser dispositivas, mesclando com dinâmicas, estudos de casos e o principal intuito é proporcionar aos participantes, um processo de reflexão a respeito do cuidado central ao paciente, pois, se antes o farmacêutico via o medicamento, hoje, vamos mudar um pouco o paradigma pensando na pessoa que toma o medicamento. Então, muda-se o foco e aumenta a atenção para a saúde do paciente”, concluiu a profissional.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *