Foi realizado, no dia 07 de julho, Programa de Desenvolvimento de Docentes – PDD, na Funorte campus São Norberto. O evento teve como objetivo a discussão de metodologias de ensino, em especial, o TDES, criado como meio de preparar melhor os acadêmicos para o futuro no mercado de trabalho.

Durante a abertura, a diretor da unidade São Norberto, Suely Nobre, deu boas vindas a todos e frisou a importância da discussão de processos pedagógicos. “Estou muito feliz em receber vocês para uma atividade tão alegre e, principalmente, de tamanha relevância, que é o PDD. A busca pela melhora no ensino é algo que está no sangue e na alma pedagógica, e os resultados mostram que, a maioria de nós conseguiu superar os desafios e atingir as expectativas. Estar aqui, hoje, tem o objetivo de trazer um conforto maior em nossas ações e proporcionar uma discussão sobre processos pedagógicos, além de enriquecer e fazer com que a nossa classe docente seja melhor a cada dia. Então, quero parabenizar quem se dispôs a discutir este assunto e desejo que seja uma manhã produtiva”, destacou a gestora.

A diretora acadêmica da Funorte, Thalita Pimentel, deu continuidade ao encontro e destacou as vantagens da metodologia TDES e os desafios que ela traz para os docentes. “Hoje, fizemos uma convocação para que todos viessem em nosso PDD de encerramento para falar sobre o TDES. Conversamos sobre o que temos aplicado na faculdade, pois, quando aplicamos uma metodologia que exige mudanças, ela traz um desconforto no início, já que gera mudança em nossa rotina. A implementação foi feita antes do mês de julho e trouxe uma carga horária presencial diferenciada, que é um reflexo de algo que fazíamos antes e, agora, se configura com uma estratégia de manutenção de uma instituição firme e forte no mercado. Então, o objetivo é levar o aluno a construir maior autonomia de estudos diante de um mercado de trabalho que o espera e, claro, que como docentes, somos responsáveis pelo futuro deles em relação ao processo de ensino”, frisou a diretora.

Outro tema tratado no encontro foram as mudanças nas Portarias do Ministério da Educação – MEC para Instituições de Ensino Superior – IES, que, em 2017, passou por uma grande mudança na regulação das instituições e nos cursos de graduação. Tais mudanças trouxeram um cenário novo e desafiador, requerendo dos profissionais uma capacitação que possibilite a apropriação dos procedimentos regulatórios, avaliativos e supervisão.

Thalita frisou, ainda, o processo para a instituição se adequar às novas regras e o importante papel que o docente tem na formação do acadêmico. “Com as mudanças nas Portarias do MEC, uma das palavras mais citadas foram experiência e inovação e experiências exitosas e, neste cenário, ainda têm as evidências, em que, tudo que você professor fizer agora, terá que ser evidenciado. Então, eu digo como pedagoga e educadora que, a maior missão do professor é inspirar as pessoas. Você, muitas vezes, como professor deseja mudar um aluno que chega e fazer com que seja diferente do que entrou. Você tem, dentro de suas habilidades, a condição de mudar esta pessoa e, mesmo quando você não tiver do lado dela, ela vai se inspirar em você, pode acreditar”, concluiu a gestora.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *