Acadêmicos do curso de Educação Física e Nutrição da Funorte e Fasi participaram nesta quinta-feira, 22, de palestra no Gold Eventos, ministrada por Guilherme Gomes Ribeiro de Oliveira, pós-graduado em Nutrição Esportiva, sobre suplementos alimentares e sua aplicação no esporte.

O nutricionista atua preparando e cuidando de toda a alimentação e preparação do time de futebol do Cruzeiro e também do MMA. O objetivo da palestra foi abordar de forma prática as áreas da suplementação esportiva, trazendo o conceito teórico e, automaticamente, associando o cotidiano e mostrado como utilizar essas suplementações na rotina dos atletas.

Durante a palestra, Guilherme abordou temas voltados para a área, contando a história do suplemento que teve origem na Grécia antiga, onde os soldados tiveram o primeiro contato, se alimentando de vísceras de animais, acreditando na potencialização de seu corpo. Eles achavam que coração de leão propiciaria a bravura e o fígado de veado daria tenuidade. “Os suplementos têm como fundamento buscar melhorias para o corpo humano”, diz Guilherme.

“Hoje, o nutricionista tornou-se peça chave em relação à equipe multidisciplinar. O futebol antigamente não tinha esse profissional engajado na clínica e na performance. Ele cuidava apenas da alimentação dos atletas no quesito segurança alimentar. Atualmente, porém, o nutricionista tem que estar participando de todo o processo que envolva desde o desempenho até a recuperação do jogador”, conta.

Para a acadêmica do 7° período de Nutrição Funorte, Rayane Dumbá Monteiro, é muito importante este tipo de palestra. “É relevante, pois, além de trazer profissionais da nossa área que estão distantes, tiram nossas dúvidas e nos ajudam a definir em que área podemos atuar no mercado de trabalho”.

“Trazer o Guilherme foi uma estratégia para mostrar aos acadêmicos como funciona a vivência prática do nutricionista esportivo que trabalha em um grande clube, dando assistência na estrutura desde a base até o profissional. Assim, saindo brevemente da academia, mostramos aos alunos a realidade dos grandes clubes e a parte prática do profissional da área”, diz Gabrielle Alcântara, professora do curso de Nutrição há 10 anos.

Durante a palestra, Guilherme afirmou que o mercado é bem seletivo, sendo assim, o profissional deve ser completo e associar seu estudo e especialização específica para o meio que deseja trabalhar é essencial. O nutricionista não pode visar somente sua área, deve também entender de fisiologia e de treinamentos que podem acrescentar na sua atuação. “O profissional tem que viver um pouco da nutrição esportiva, pois nós não estamos lidando com máquinas e, sim, com pessoas. Mesmo que elas pareçam ser “super”, cada uma delas tem suas características como intolerância em certo tipo de alimento, desconfortos, intoxicação alimentar. O profissional tem que estar muito atento e acompanhar de perto sua rotina.”, afirma Guilherme.

Silas Micael de 21 anos, acadêmico do 3° período de Educação Física, é atleta de muay thai e jiu jitsu e conta que tem uma rotina de treinos intensos e sua alimentação varia de acordo com o tipo do exercício praticado. “É muito importante trabalhar a prática e a teoria, embora, praticar o conhecimento extraclasse mostra muito mais e ajuda tanto quem está no meio do esporte quanto quem é de fora”, fala Silas.

“O especialista da área, precisa vivenciar o mercado, não pode ser um profissional somente teórico. A teoria é fundamental, pois é a nossa formação, o que proporciona embasamento para decidir quais atitudes devemos ter perante as nossas condutas. Porém, o nutricionista que deseja trabalhar com essa área é obrigado praticar atividade física, seguir uma dieta, experimentando diferente tipos de suplementos e estratégias para que ele possa dar um feedback para seu paciente e para o atleta”, finaliza Guilherme Gomes.

 

Victor Araújo

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *