No último sábado, 09 de março, acadêmicos do 7° e do 10° períodos do curso de Direito, que realizam estágio no Núcleo de Práticas Jurídicas Funorte – NPJF; participaram de ação solidária no Centro de Convívio Luizinha Gonçalves. A atividade, que contou com parceria com o movimento “Trabalhadoras por Direitos”, teve o objetivo de celebrar o Dia Internacional da Mulher e garantir seus direitos.

A participante do movimento, Iasmim Chequer, ressaltou que o evento é relevante, pois é uma forma de trazer a paz e a solidariedade. “Estamos realizando essa ação para celebrar o dia Internacional da Mulher, aqui na Vila Atlântica, onde temos um trabalho social permanente. Dessa forma, o Centro de Convívio funciona ofertando oficinas para a comunidade, sendo as mulheres protagonistas desse processo”.

“O evento objetivou com que essas mulheres tivessem alguns direitos que, no dia-a-dia, ficam um pouco limitados, como a questão da própria assessoria jurídica,  orientação jurídica para os problemas que elas vivem, atendimento a saúde, uma roda sobre a saúde da mulher e parto humanizado, bazar de roupas e acessórios e exposição de artesanatos”, explicou, Iasmim.

A orientadora do Núcleo de Praticas Jurídica, Carolina Nascimento, contou sobre a importância de a instituição oportunizar essas atividades para os acadêmicos. “É imprescindível a participação dos alunos nesses eventos, uma vez que, este envolvimento estará sempre ligado ao crescimento contínuo do acadêmico que, de forma sistêmica, vê a possibilidade de agregar mais e mais conhecimento, com experiências extra classe”, frisou.

O acadêmico do 7°período, Pedro Henrique Oliveira, destacou sobre a experiência de participar do evento. “É realmente uma experiência incrível poder começar a praticar a advocacia de forma tão solidária e em uma causa tão nobre. Fiquei muito feliz ao receber o convite do NPJF e de pronto o aceitei. É uma excelente oportunidade que a faculdade proporciona aos acadêmicos do curso de Direito, e, igualmente aos destinatários desse suporte. Estou muito contente e espero que haja mais eventos como este”, concluiu o estudante.

Marco Freitas

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *