Parcerias:

(38) 2101-9494
(38) 98407-1291

Estudantes de Medicina e professor Funorte colaboraram com livro sobre COVID-19


Estudantes de Medicina e professor da Funorte colaboraram com livro sobre COVID-19

Um grupo de acadêmicos do oitavo período do curso de Medicina e um médico docente do Centro Universitário Instituto de Ciências da Saúde e Humanidades UNI-ICS (Funorte) participaram do livro: "O vírus que movimentou a ciência" publicado recentemente pela editora Pasteur.

Eles realizaram uma pesquisa bibliográfica e concluíram que o uso da aromaterapia tornou-se aliada contra o transtorno anósmico causado pela Covid-19, ativando memórias olfativas e restabelecendo conexões neurais para a percepção de odores. O título do trabalho é: Atuação da aromaterapia na anosmia pela Covid-19:uma revisão bibliográfica e pode ser encontrado no capítulo 15 do livro.

Participaram: professor e médico otorrinolaringologista e especialista em cirurgia cérvico-facial João Fleury Teixeira, e os estudantes Anna Clara Oliveira Santos, Anna Cláudia Zuba da Silva, Cecília Santos de Oliveira, Daniel Spósito Santos, Jéssica Ellen Martins Alves, Jéssyca Cardoso dos Passos, Maria Elisa Souza Ornelas, Mariana Barbosa Zica, Mariana Santos Gomes, Savanna Almeida de Moraes.


A Anomaterapia é a arte e a ciência que visa o bem-estar do corpo e mente, através do uso terapêutico das plantas, por meio dos óleos essenciais. O método usado pela equipe da Funorte foi revisão sistemática da literatura. As buscas foram realizadas em bases eletrônicas da biblioteca virtual em saúde e Scielo. Eles analisaram e confirmaram que que, em média, dois dias após o início dos sintomas, o paciente com Covid-19 já apresenta alterações olfativas e gustativas. “Olfato e paladar são funções sensoriais essenciais para o tanto para uma boa qualidade de vida como para a preservação, identificação de sabores e odores nocivos”, citam os pesquisadores. Sendo assim, de acordo com a pesquisa, a aromaterapia pode ser propiciadora de saúde, reduzindo sequelas pós-covid e devolvendo a qualidade de vida à população.

Autora da pesquisa teve Covid-19 e sofreu anosmia

A estudante de Medicina Anna Clara Oliveira Santos que é autoria da pesquisa, não vê a hora de se formar. Ele vai concluir sua graduação em 2023 e ainda não escolher a área de atuação, após formada. A acadêmica conta que esse trabalho tem um significado pessoal muito importante para ela. “ A ideia surgiu quando eu estava em isolamento social após contrair a Covid-19 no mês de janeiro deste ano. Meus sintomas foram hipogeusia e anosmia, sendo esse último persistente por cerca de 28 dias após a doença ativa. Na tentativa de entender o que estava acontecendo com meu organismo, estudei bastante sobre o assunto e acabei conhecendo uma gama de informações sobre o quanto a anosmia pelo Sars-CoV-2 vem impactando na vida das pessoas. Encontrei a forma mais interessante de terapia complementar para essa condição na aromaterapia. Conheci os respaldos científicos que ela possui, o amplo arsenal terapêutico e toda aplicação que vem sendo adotada na prática médica ocidental”, relata.


Anna Clara

Ainda segundo Anna Clara, com a ajuda do professor e médico otorrinolaringologista, João Fleury, ela fez o treinamento olfativo com a aromaterapia durante todo curso da sua anosmia e percebeu uma melhora significativa a cada dia. “A partir de um pequeno resumo dessa experiência, convidei alguns colegas para estudarmos mais sobre o tema e elaborarmos esse capítulo, sob orientação do Dr. João, para que através dele, pudéssemos ajudar aqueles que têm a anosmia como sintoma da Covid-19. Dessa forma, estaríamos contribuindo também para a sociedade científica, trazendo essa nova forma terapêutica para recuperação de um dos principais sentidos do ser humano, e que está sendo afetado em grande escala com a pandemia vigente. Com muita alegria, conseguimos fazer um trabalho incrível e bastante rico em conhecimento. Vale a pena a leitura”, salienta a futura médica.

A também acadêmica de Medicina Mariana Barbosa Zica é coautora do estudo e contou como foi sua participação na pesquisa. “Quando Anna Clara comentou conosco sobre a possibilidade da publicação deste capítulo no livro e nos convidou para a sua realização, nos provocou grande interesse, especialmente pela oportunidade de expandir nossos conhecimentos sobre o assunto mais comentado dos últimos tempos que é a pandemia pela Covid-19. E em se tratando da aromaterapia, foi possível identificar como é uma alternativa extremamente interessante e de fácil acesso para todos aqueles pacientes que foram afetados pela doença. Em conjunto, pudemos acessar diferentes bases científicas que ratificavam o poder de atuação desta terapia em diferentes processos e, principalmente, na recuperação do sistema olfativo por meio da utilização dos óleos essenciais. Tornar esse assunto mais público e no alcance de todos, nos faz mais colaboradores e atuantes na melhoria da qualidade de vida dos que mais necessitam neste momento. Sinto-me muito grata e feliz por participar deste excelente projeto”, revelou.


Mariana Zica

O professor orientador e médico João Fleury Teixeira relatou como foi o início do projeto: “Fui convidado pela acadêmica Anna Clara para ser orientador em um artigo sobre anosmia pós-Covid. Por se tratar de um assunto que já faz parte da minha rotina profissional como otorrinolaringologista e do qual já venho me dedicando e estudando muito, aceitei com euforia. O resultado final foi um capítulo de livro sobre a Covid-19 publicado pela editora Pasteur/PR que irá contribuir cientificamente para o enfrentamento dessa pandemia. Parabéns aos envolvidos!”.


Dr. João Fleury


Livro foi embasado em estudo realizado no Piauí

A obra "O vírus que movimentou a ciência" tem mais de 500 páginas e 50 capítulos com assuntos diversos sobre a Covid-19, entre eles: o impacto das comorbidades na sintomatologia de pacientes, aspectos clínicos em crianças, odontopediatria e Covid-19, tratamento farmacológico, aromaterapia na anosmia e uso interdisciplinar por automedicação. Assina como editor o Doutor Guilherme Barroso Langoni de Freitas.

O estudo foi realizado no Estado Piauí, região norte do Brasil, entre os meses de março de 2020 a junho de 2020 e teve como fonte de estudo 456 casos confirmados de Covid-19. A pesquisa teve aval do Comitê de Ética em Pesquisa, foi aprovada pela Universidade Federal do Piauí e autorizada pela Secretaria de Sáude do Estado do Piauí.

A obra aborda os principais impactos das comorbidades na sintomatologia de pacientes e aspectos clínicos em crianças, incidência de eventos tromboembólicos venosos, odontopediatria e Covid-19, tratamento farmacológico, uso interdisciplinar por automedicação, entre outros temas bastante discutidos desde o início da pandemia. 

laughing https://editorapasteur.com.br/ebooks/ 


Publicada em: 04/06/2021
242 Visualizações

Notícias Relacionadas: