Os alunos do colégio Indyu visitaram na última sexta-feira, 18, os laboratórios da Funorte, unidade JK, com o intuito de mostrar aos estudantes as prováveis áreas acadêmicas que podem seguir após finalizarem a etapa da educação básica. A Funorte possibilitou aos alunos conhecerem a parte prática e as áreas de atuação de alguns, dos muitos cursos que a instituição possui.

“A educação, é um processo de desenvolvimento, ela não simplesmente acontece de forma repentina”, disse a diretora acadêmica da Funorte, Thalita Pimentel para os estudantes.

Os laboratórios de Química, Bioquímica, Biologia, Bromatologia, Gastronomia, Medicina Veterinária, Anatomia Humana e Animal foram visitados pelos alunos, além de explorarem as dependências dos laboratórios das Engenharias. “Integrando a aplicação teórica com a prática, o acadêmico tem a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos para que ele possa sair da academia e ir preparado para o mercado de trabalho. Hoje, temos os laboratórios de Física, Hidráulica e Fenômenos do Transporte, a Maquetaria, laboratório de Elétrica, Eletrônica Digital e Analógica e Metrologia. Assim, o acadêmico tem melhor auxílio para que ele possa agregar todo o conhecimento aplicado”, pondera Kledson Teixeira, técnico responsável pelos laboratórios das Engenharias.

O aluno do primeiro ano do ensino médio, Matheus Vitor, deseja cursar Engenharia Civil e após conhecer a área de Exatas, demonstra afinco pelo meio acadêmico. “Através do que nos foi passado, podemos escolher com mais precisão a nossa futura profissão”, diz Matheus.

“Essa visita técnica com os alunos do Indyu só tem a enriquecer o aprendizado do estudante para que, além de ter o aparato da ferramenta prática dentro da unidade, ele possa também ter uma ampla visão de qual curso de graduação escolher”, conta o professor de Física, Welton Soares. Paula Vitória, aluna do primeiro ano, diz que possuir uma visão ampliada em relação ao mundo acadêmico é importante para que sua decisão não seja errônea. “Penso que é essencial ter esse apoio de toda a rede, pois temos a chance conhecer novas áreas e buscar afinidade com o curso que pretendemos fazer”, afirma Paula.

A diretora acadêmica, Thalita, afirma que a rede tem a oportunidade de mostrar para o aluno que além do colégio de ensino médio (Indyu), ela tem todo um mundo a disposição para a formação do estudante, além de ser em Montes Claros, com a facilidade de acesso, planos, além de ser um egresso e ter a oportunidade de mensalidades viáveis. Acima de tudo, ele tem o ensejo de enxergar oportunidades dentro da instituição. “Algumas atividades do Indyu são realizadas dentro das dependências da Funorte, em laboratórios das disciplinas de Física e Química. É válido ressaltar que, tudo isso, está dentro do processo de desenvolvimento da educação, pois aquilo que o aluno possa ver teoricamente irá aprender, mas, também, tudo aquilo que o estudante pode fazer, tocar, experimentar, errar e acertar, nos permite um aprendizado muito mais consolidado. E ter o espaço de exercer essas aulas práticas, dentro das unidades da rede, ele cria além do amadurecimento em relação à aprendizagem, vínculos afetivos, o desejo de ingressar nos cursos e fazer parte da instituição, cria o envolvimento com outras pessoas, trocas de experiências com estudantes mais maduros, e assim desenvolve o aluno do ponto de vista da maturidade, como pessoa, estudante e profissional”, finaliza Thalita Pimentel.

Victor Araújo

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *