Teve início nesta quinta-feira, 18 de agosto, na sala Ray Colares, Campus JK, o I Congresso dos Estudantes de Enfermagem da Funorte. Segundo a coordenadora do curso, Leila das Graças Siqueira, o objetivo do evento é realizar um encontro científico com os acadêmicos para debater assuntos atuais e pertinentes da atualidade. “O congresso é relevante para que os alunos façam uma atualização dos saberes, tenham uma interação e troquem conhecimento entre eles e os profissionais participantes”, diz Leila.

O evento foi organizado e idealizado pelo Núcleo de Acadêmicos Estruturante – NAE. A equipe é formada pelos alunos do curso de Enfermagem integral e noturno. São eles: Lucas Faustino (6° período), Amanda Araújo (6° período), Railde Ruas (7° período), Lucas Soares (5° período), Diego (8° período), Roberto Cardoso (2° período), Maria Alice Soares (2° período), João Fábio (7° período), Nadine Teixeira (4° período), Lorrayne Dias (5° período), Eliseu Rocha (7° período), Géssica (8° período), Felipe (1° período).

Segundo Lucas Faustino, a ideia do evento surgiu a partir do 3° lugar que o curso de Enfermagem conseguiu na Gincana de Integração. “Com a premiação em mãos, reunimos as turmas, escolhemos os representantes e definimos este evento como a melhor forma de investir o dinheiro que o curso ganhou”, conta o acadêmico que ainda completa: “Os temas selecionados para serem discutidos durante o congresso foram escolhidos também pelo NAE, visando atender as melhores demandas da área atualmente”.

Segundo o acadêmico João Fábio, este congresso vai acrescentar muito aos alunos. “Conseguiremos aliar a teoria com a prática e melhorar, neste aspecto nossa formação, fala.

A Diretora Acadêmica, Thalita Pimentel, diz estar orgulhosa pelos alunos terem organizado o evento. “Estudem para desenvolver e promover ciência, além de ajudar o ser humano. A graduação é um marco na vida de vocês. Viva este momento, participem de tudo o que ela oferece”, aconselha Thalita.

Para Ana Paula Nascimento, Diretora dos cursos de Saúde da Funorte, é muito importante ter os acadêmicos envolvidos em eventos como o congresso. “A enfermagem é uma profissão que oferece um leque enorme de atuação no mercado de trabalho. Vocês podem ter certeza que, através da enfermagem vocês podem ir longe e atuar em diversas áreas da saúde. O enfermeiro é capacitado para atender o sistema de saúde, que é um dos âmbitos mais complexos. É este profissional que consegue atuar, ler e gerenciar este universo”, afirma Ana Paula que acrescenta: “Sintam-se orgulhosos pela escolha da enfermagem e podem ter certeza que, quando dedicamos e fazemos uma graduação efetiva, com participação atuante, só temos a crescer, além de nos tornarmos profissionais com futuro brilhante. Nós, enfermeiros, podemos contribuir enormemente para a construção de uma sociedade melhor”.

Neste primeiro dia de evento foi realizado o minicurso: “Feridas: aspectos atuais”, com a especialista e professora, Keila Jeanny Ferreira. Segundo ela o enfermeiro é o profissional capacitado para tratar e cuidar deste tipo de patologia.

“As feridas surgem quando ocorre a descontinuidade de tecido epitelial, das mucosas ou de órgãos. Neste caso, as funções básicas de proteção da pele são comprometidas. A ferida resultante dessa descontinuidade pode ser causada por fatores extrínsecos (incisão, cirúrgica, trauma) e por fatores intrínsecos (infecção), explica Keila.

A professora alertou para os fatores que devem ser considerados na avaliação das feridas:

  • Causa;
  • Tempo;
  • Presença de infecção;
  • Dor;
  • Presença de edema;
  • Extensão;
  • Profundidade;
  • Característica do leito;
  • Pele perilesional

A partir destas identificações é que podem ser feitos alguns diagnósticos. “Precisamos identificar o período evolutivo cicatrical, já que a cicatrização é um processo fisiológico e dinâmico que busca restaurar a continuidade dos tecidos. Devemos, então, conhecer a fisiopatologia da cicatrização e os fatores que podem acelerá-la ou retardá-la”, conta a especialista.

Além das questões técnicas, Keila ainda abordou fatores como o uso de tratamentos fitoterápicos e o uso do barbatimao (planta medicinal que pode ser usada para tratar feridas, hemorragias, queimaduras, dores de garganta, diabetes ou malária) e os efeitos dos curativos.

O congresso que termina nesta sexta-feira, 19 de agosto, ainda discutirá: RCP e as Condutas de Enfermagem (noite – 18/08) e Cálculo e administração de medicamentos e o papel da Enfermagem (tarde – 19/09). Além disso, para encerrar o evento, será promovido um coquetel no Clube Campestre da Funorte, das 19h às 23h desta sexta-feira.

 

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *