O Ministério Universidades Renovadas (MUR) nasceu de um sonho colocado no coração de um estudante da Universidade Federal de Viçosa (MG), Fernando Galvani, acadêmico de Medicina Veterinária. Este sonho começou a se formar no coração do universitário, a partir de uma meditação feita sobre uma passagem bíblica que relatava as dificuldades e perseguições sofridas pelos discípulos que levavam a palavra de Jesus a Jerusalém.

Refletindo sobre isso, Fernando observou que no meio universitário os cristãos sofrem perseguições da mesma forma como os discípulos sofriam. A partir disso, veio o desejo de encher as universidades da doutrina de Jesus, e inspirada no MUR, jovens de todo o mundo aderiram a células denominadas GOU (Grupo de Oração Universitário), que é um encontro de oração, acolhida e louvor, para que sejam experimentadas a comunhão e a confraternização entre cristãos que compõe o meio acadêmico.

Acadêmicos e colaboradores da Fasi, também aderiram ao GOU. É realizada uma reunião a cada semana, geralmente no horário do intervalo das aulas, sendo dois grupos: GOU TotusTuus e GOU Abba Pai. Os dois grupos se destinam a horários diferentes, matutino e noturno, porém com o mesmo objetivo de evangelização.

Ana Paula Soares, 25 anos, estudante do primeiro período de Psicologia, faz parte do núcleo que organiza as reuniões e conta que há a orientação de uma pastoral universitária que auxilia todo o núcleo para darem prosseguimento aos encontros. Ana Paula fala também, sobre como é importante trabalhar a espiritualidade dentro do meio acadêmico, mas, que ainda há uma dificuldade em aproximar as pessoas de Deus. “Falar de Deus na universidade é difícil, ainda há muita resistência. Porém, não desistimos de estar em comunhão, ter este momento aqui na faculdade, tem sido um sustento espiritual”, diz. O GOU ainda é um grupo pequeno, formado por uma média de 20 a 30 pessoas, mas que já atua com muita força e conta sempre com ajuda de novos integrantes. “Tornou-se sólido por Deus, aconteceu. Acredito que é algo que ainda pode crescer muito! Trabalhamos coisas além da espiritualidade, visamos à união, a partilha”, conclui Ana Paula feliz ao falar sobre o movimento de oração.

Ingrid Neves

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *