Nesta quinta-feira, 23 de novembro, acadêmicos de diversos cursos da área da saúde da Funorte e Fasi, participaram do VIII Simpósio de TCC, promovido pela instituição por meio do Centro de Pesquisa (CP). O evento aconteceu na quadra interna do campus JK e contou, também, com a presença de professores e colaboradores Funorte.

Com o auxílio de banner, os estudantes defenderam o tema do artigo diante dos avaliadores. Segundo o coordenador representante do Centro de Pesquisa, Henrique Andrade Barbosa, este evento consiste em mostrar o trabalho e comprovar a capacidade do aluno em exercer a profissão. “O objetivo é que eles vivenciem um momento como se fosse um congresso, pois o simpósio tem este formato na parte da apresentação de estudos cientificos. O resultado desta pesquisa vem coroar todo o trabalho acadêmico que eles desenvolveram com a comunidade acadêmica, a população usuária do serviço ou profissionais da área. E este evento é importante, também, pelo fato de dar visibilidade no trabalho de pesquisa da instituição e propiciar ao acadêmico, um momento de ser pesquisador e sair preparado para exercer a profissão”, frisou o coordenador.

Um dos trabalhos apresentados frisou sobre a “Qualidade de vida na percepção do paciente portador de tumor cerebral”. Este foi apresentado pelas acadêmicas do 8º período do curso de Enfermagem Fasi, Jússica Patrícia Soares dos Santos e Agna Soares Menezes. Segundo Jússica, “o trabalho consiste em entender a qualidade de vida deste tipo de paciente, seu comportamento, seus sentimentos, alterações no cotidiano e sequelas causadas pela doença. E isto, só foi possível conhecer a fundo, através desta pesquisa”, ponderou.

Agna ressaltou sobre a importância que esta pesquisa tem para a formação do acadêmico.

É uma experiência fundamental, visto que, na prática temos contato direto com pacientes com este diagnóstico. Então tivemos a oportunidade de vivenciar a realidade antes da nossa formação e, assim, aprendemos muito e, a partir desta pesquisa, saberemos como tratar nosso paciente para que se sinta melhor”, concluiu a estudante.

Greiciely Rodrigues

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *