Com o objetivo de integrar conhecimentos do Cálculo, Física, Química entre outras disciplinas técnicas, equipes de acadêmicos dos diversos cursos da área da Engenharia realizaram, nesta segunda-feira (13), no campus JK, I Mostra dos Projetos Integradores das Engenharias Funorte.

O evento contou com a participação de estudantes do 1º ao 5º períodos, em que cada equipe desenvolveu uma pesquisa científica e, por meio dela, a criação de um protótipo que representasse o seu produto. Para o diretor das Engenharias Integradas Funorte, Pedro Almeida, esta experiência é fundamental, pois garante um aprendizado significativo e incentivador para os estudantes. “Este Evento faz parte da Semana das Engenharias/Jonafes e trata-se de um mergulho na pesquisa de fenômenos, transformados em Protótipos, buscando a contextualização de conteúdos para o alcance de uma aprendizagem significativa, motivadora e multiplicadora”, frisou o gestor.

Pedro ressalta, ainda, que este conhecimento adquirido estimula o bom desempenho do acadêmico, não somente na graduação, mas na vida profissional. “O ensino/aprendizagem se faz além, muito além, da sala de aula. Metodologia de Projetos , Estudo de casos e Metodologias Ativas potencializam os alunos no seu desempenho profissional. Mão na massa: esse é o caminho da Engenharia de resultados”, destacou.

Durante a exposição, os projetos eram apresentados e avaliados por professores e especialistas. Os critérios de avaliação se estruturou nos seguintes itens: Originalidade (potencial de transformação em negócios), Relevância (Contribuições para a Sociedade e para a comunidade acadêmica), Criação e Design (satisfazer as necessidades do consumidor), Tecnologia utilizada ( aplicação de novos materiais) e Efetividade (Promoção de resultados esperados).

Segundo o professor Marcus Caldeira, que participou das avaliações, o principal objetivo é fazer com que o acadêmico se dedique e estimular a iniciação científica e desenvolvimento de novos negócios e projetos a partir destas ideias. “Os alunos foram desafiados a desenvolver um produto inovador a partir dos conhecimentos do seu curso. Assim, tiveram que realizar uma pesquisa científica e a partir dela, desenvolver um protótipo, que é algo que estimula o estudante. Então, este evento é fundamental, pois promove a interdisciplinaridade, ou seja, todas as disciplinas colaborando, cada uma com a sua perspectiva, para o desenvolvimento de um projeto e produtos que possam atender à necessidade de empresas e da humanidade de maneira geral”, frisou o docente.

Marcos Souza, acadêmico do 5º período de Engenharia Mecânica, desenvolveu o projeto de uma impressora 3D que imprime com uma maior velocidade. Ele explica quais as funções do protótipo e qual seu diferencial. “O projeto é uma Impressora 3D Delta, considerada uma das impressoras mais rápidas do mercado, pois seus três eixos se movem ao mesmo tempo e a mesa de impressão fica parada. Com isso, ela consegue atingir velocidades maiores e menos defeitos nas peças, além de fazer uma prototipagem mais rápida que as máquinas convencionais”, ressaltou o estudante.

Greiciely Rodrigues

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *