Entre os dias 16 e 17 de novembro, foi realizada a Semana da Biomedicina 2017 com diversas palestras e minicursos e, no encerramento, estudantes do 6º ao 8º períodos participaram da Feira de Projeto de Metodologia Ativa, que é uma proposta com o objetivo dos alunos desenvolverem novas competências e despertarem a mentalidade empreendedora.
Segundo o coordenador do curso de Biomedicina Funorte, Fabrício Monteiro, a finalidade da Feira é dar possibilidade para que o estudante amplie seus horizontes de atuação. “A feira tem o objetivo de dar mais uma possibilidade para o aluno inserir no mercado de trabalho, além de ampliar o seus horizontes de atuação como empreendedor tanto na área laboratorial quanto em qualquer outra área. Então ele tem um leque de possibilidades ao desenvolver este projeto e adquire uma experiência dentro desse universo inovador que é o empreendedorismo”, frisou o coordenador.
Este projeto acompanha os estudantes desde o 2º ao 8º período, quando é finalizada a apresentação da pesquisa e do protótipo do produto. Para o professor que acompanha o desenvolvimento do trabalho, Marcus Caldeira, esta experiência prepara o aluno para o mercado de trabalho e incentivam a serem empreendedores na carreira. “O projeto propõe a criação de um novo negócio, um novo produto, algo inovador para a área de Biomedicina, que é a área da saúde e de muitas oportunidades. Então o aluno desde o 2º período tem uma etapa para começar a desenvolver e, quando chegar no 8º período, terá consolidada esta ideia de negócio, podendo inclusive lançar este produto ou empresa no mercado”, ressaltou o docente.
Marcus, o coordenador do curso e o coordenador do projeto Encubadora Funorte; que tem o objetivo de buscar projetos empreendedores que possam ser lançados no mercado; participaram da avaliação dos projetos. Segundo o coordenador do projeto Encubadora, Bruno Garcia, “a intenção do projeto é criar uma mentalidade empreendedora nos alunos e, de uma forma explícita, dizer para não pensarem somente em concurso público ou em serem empregados, mas pensarem em ter o próprio negócio e desenvolver ideias. Obviamente, empreender não é fácil, mas em um mundo com inovações, a mentalidade empreendedora tem sido muito exigida de todos, e a Funorte tem dado um passo importante que é disseminar este futuro empreendedor”, ponderou.
Um dos projetos apresentados foi o ControlQuali Assessoria, da equipe da estudante Jessica Magalhães Freire. O projeto tem o objetivo desenvolver o serviço de controle de qualidade de exames em consultórios, hospitais e laboratórios. Para a estudante, esta pesquisa é extremamente importante. “Temos a oportunidade de criar algo inovador durante a graduação e, isto, enriquece muito nosso currículo e nos dar muita segurança para chegar no mercado de trabalho”, concluiu
Greiciely Rodrigues

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *