Egressa do curso do de Jornalismo, Pérola Oliveira Santiago, natural de Salinas, gradou- se em 2016 e possui especialização MBA em Comunicação e Marketing para Mídias Digitais e, atualmente, trabalha como jornalista na Prefeitura Municipal de Salinas.

Pérola explica que escolheu fazer a graduação na Funorte, pois se identificou com a matriz curricular da instituição e por ter localização próxima de sua cidade. Ela, ainda, avaliou a qualidade de ensino da Funorte. “Os professores da Funorte são exemplares, assim como o coordenador, que tanto dentro ou fora da sala de aula, estão sempre dispostos a formar os melhores jornalistas e cidadãos”, comentou a egressa.

A Jornalista ressalta a maneira que a graduação influenciou em seu sucesso no mercado de trabalho e fala sobre suas lembranças da época de Faculdade. “Com toda certeza a Funorte influenciou em meu sucesso. Hoje, trabalho na Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Salinas, assim, é de extrema e fundamental necessidade a aplicação de conceitos ministrados nas aulas de assessoria, publicidade e marketing. As melhores lembranças são as aulas de fotografia, teatro, temas contemporâneos em comunicação e jornalismo literário, que se tornou minha paixão dentro do jornalismo. Além destas, destaco as importantes conversas com professores e as amizades que levarei pra vida toda”, citou.

Pérola Santiago avalia a situação das “fake News”, um fenômeno que vem crescendo ultimamente e orienta sobre como evitá-las. “As ‘fake news’ entregam um conteúdo motivado por uma sociedade digital que valoriza cliques e manchetes, em vez do conteúdo. Elas surgem para atender esta demanda e, para que, debatendo o cenário atual, fossem usadas também para promover determinado conteúdo, falso. Conferir a fonte, o autor, a data de publicação ou pesquisar em outros veículos são apenas algumas das ações que podem ser feitas para conferir a validade de determinado conteúdo na internet”, orientou a jornalista.

Pérola finaliza ao falar sobre o mercado de trabalho para o jornalista atualmente e sobre seus planos para o futuro. “Acredito que enfrentaremos uma grande e grave crise no jornalismo a partir de 2019, o que faz com que precisemos estar unidos e lutar para manter e ampliar a credibilidade da profissão. Pretendo fazer alguns cursos específicos em comunicação e demais áreas como saúde mental, idiomas, jornalismo literário, etc.”, concluiu a egressa.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *