O Direito é uma das áreas com o mercado de trabalho sempre aberto a oportunidades, por isso, é um dos cursos mais procurados por estudantes que desejam ingressar no ensino superior.

Eduardo Brandão Lima Júnior, 24 anos, é egresso do curso de Direito Funorte. Ele fala que o extenso campo de atuação foi um dos motivos que influenciou a sua escolha pelo curso. “O mercado de trabalho para um bacharel em Direito é bastante amplo, tendo em vista as inúmeras alternativas de profissões que exigem tal graduação. Atualmente, vários concursos públicos estão exigindo graduação em direito como, por exemplo, o CFO (Curso de Formação de Oficiais). Além disso, o graduado pode optar em seguir por uma carreira jurídica, seja como advogado, promotor ou até mesmo sendo um juiz”, diz.

Natural de Montes Claros, Eduardo concluiu a graduação em 2015. Além da escolha pelo curso, o egresso fala dos motivos que o fizeram optar em estudar na Funorte. “Escolhi esta instituição por ser uma faculdade com grande expressão no cenário mineiro e que dispõe de uma grande estrutura e suporte ao acadêmico, com professores altamente capacitados e renomados”, cita.

Ele ressalta, ainda, sobre a excelência da qualidade de ensino, que foi fundamental para a sua formação. “A faculdade Funorte possui uma qualidade excelente, professores com notável saber jurídico, além de uma biblioteca ímpar, com vários livros atualizados, proporcionando aos alunos uma excelente qualidade de ensino”, aborda.

Eduardo atua como advogado militante no escritório Brandão e Veloso Advogados Associados, advocacia e consultoria jurídica. Ele conta que a profissão oferece vários desafios. “O maior deles é o de se manter atualizado na esfera jurídica, uma vez que o Direito se modifica com o tempo. A cada momento sai uma emenda, alteração, ou ate mesmo a extinção na lei, exigindo que o advogado se mantenha sempre atualizado. Mas há também desafios pertinentes como gestão de escritório, captação de clientela, e as inúmeras ofertas de serviços pela concorrência, resultando em grande parte no aviltamento dos honorários”.

Com inúmeras possibilidades de futura atuação, tanto em órgãos do setor público como em empreendimentos da iniciativa privada, o Direito propicia vários perfis para os estudantes. Segundo Eduardo: “um acadêmico de direito deve gostar bastante de leitura, pois o curso exige a busca de informações em leis, doutrinas e jurisprudências. Ter também uma grande aptidão de expressão verbal e escrita, ser uma pessoa com uma boa capacidade de relacionamento interpessoal, organizada, comprometida e que sempre busca se atualizar”.

Atualmente, o egresso cursa especialização e planeja se aperfeiçoar cada vez mais. “Tenho plano de me capacitar mais para o mercado de trabalho, me especializando com pós-graduações. Por consequência, almejo fazer mestrado e doutorado, para conseguir realizar um sonho ainda maior, que seria exercer o magistério”, finaliza Eduardo.

 

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *