Segundo o Ministério da Saúde, 1,8% da população doa sangue com regularidade no Brasil. Essa pode ser uma das maneiras mais eficazes e fáceis de ajudar o próximo, entretanto, é preciso estar bem fisicamente e com a saúde, principalmente pessoas que fazem uso contínuo de medicamentos.

“Na hora da doação de sangue é importante verificar o estado de saúde de quem está doando, doenças podem ser transmitidas, é imprescindível que o doador relate se faz uso de algum medicamento e especificar quais. Normalmente quem recebe a doação já está com estado imunológico mais crítico e consequentemente mais acessível à contaminação”, explica a farmacêutica Janine Kátia.

De acordo com Janine, o hábito  de  fazer exames de rotina é necessário  não só para a doação de sangue, mas também para prevenir doenças que, se diagnosticada precocemente, o tratamento se torna ainda mais eficaz.

 Max Santos é acadêmico de Fisioterapia e como se prepara para atuar na área da saúde sabe bem da importância de fazer exames de rotina. “Ter a certeza que minha saúde está bem me deixa tranquilo, por isso faço questão dos exames, com eles posso me prevenir de muitas doenças, além de poder ser um doador de sangue”, relata o acadêmico.

Para o Biomédico Cássius Rocha, muitas pessoas não sabem a importância dos exames básicos para verificar a saúde e tampouco sobre o quanto a doação é importante para quem está a espera.

“A atitude de doar sangue ajuda muitas pessoas que possuem doenças hereditárias e que não tem cura. Por ser um tratamento contínuo esse paciente precisa receber sangue de três em três meses”, diz e completa: “Para doar é preciso estar com a saúde em dia, uma simples gripe pode impedir uma doação momentânea”, finaliza Cássius Rocha .

Gabriele Santos

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *