O siso é o terceiro e último dente de cada lado dos maxilares superior e inferior. Ele também é o último dente a nascer; geralmente aparecendo entre o final da adolescência e o início da vida adulta.

Para esclarecer algumas dúvidas, Leandro de Melo, docente do curso de Odontologia Funorte que leciona disciplinas do 4º ao 8º períodos, com especialização em Implantondontia e Periodontia, além da cirurgia oral siso garante que o dentista precisa se especializar nessa área de extração do dente.

De acordo com Leandro Melo, na maioria das vezes o siso não é visível e normalmente aparecem entre os 18 aos 20 anos de idade, teoricamente todos possuem os dentes sisos e através de uma radiografia panorâmica é possível encontrá-los.

“Existe uma negligência ou talvez uma grande dificuldade nesse tipo de cirurgia, isso se dá pelo fato de ser um dente de difícil acesso que demanda capacitação e experiência. A negligência seria o fato de muitos dentistas sem especialização se proporem a fazer determinada cirurgia, o fato de extrair o siso com o profissional não especializado, pode gerar uma série de complicações”, ressalta o dentista.

Segundo o profissional, a remoção será mais satisfatória em fase inicial. “Como os dentes antes dos 20 anos têm raízes em menor estágio de desenvolvimento, causam menos complicações ao serem removidos. Por isso, recomenda-se que as pessoas entre 16 e 19 anos tenham seus dentes do siso examinados para verificar se precisam ser extraídos”, explica.

 

Medo de Dentista

Existem muitos mitos acerca da extração do siso. Tem casos que o procedimento cirúrgico pode ser simples, assim como, existem casos que têm a necessidade de cortar o osso para facilitar a extração, algo que causa receio em muitos pacientes. Porém, nenhuma das circunstâncias será traumática se o profissional for qualificado e seguir os procedimentos corretos.

“As pessoas ficam com medo ou receio de extrair esse dente, principalmente quando se fala que é preciso cortar o dente ou cortar osso. O paciente imagina que será um filme de terror, mas não imagina que, com uma broca de um milímetro, é possível retirar aquele dente”, exemplifica.

Janete Baldez fez a extração dos quatros dentes sisos na Clínica Escola de Odontologia da Funorte. Para ela, foi um procedimento cirúrgico bem tranquilo. “Não tive problema na extração dos sisos, retirei dois em uma semana e dois em outra semana e fui bem atendida. É claro que tive medo, mas o dentista me passou tanta segurança que quando vi já tinha extraído”, diz.

Leandro Melo relata que antigamente os próprios dentistas ficavam com o jaleco sujo de sangue, até por uma questão de marketing para mostrar que faz o procedimento cirúrgico. Entretanto, isso é totalmente fora do padrão dos profissionais de hoje, que devem passar seguranças para os pacientes.

“Ter o controle em relação ao sangramento, ou um controle maior na cirurgia, está relacionado com a habilidade do profissional ou dentista com experiências, procedimento cirúrgico tranquilo”, diz Leandro Melo.

 

Esclarecimentos

Todos possuem os dentes siso?

  • “Existem dentes que são grandes, existem mandíbulas que são maiores do que o tamanho do espaço ocupado pelos dentes, a posição de inclinação do siso que pode interferir na carga dentária e não aparecer, mas não significa que ela não exista”.
  • “A grande questão que precisa ser entendida sobre o dente siso (terceiro molar) e que deveria fazer uma campanha nacional (incentivando todas aquelas pessoas que acreditam não ter os dentes sisos) é que façam uma radiografia panorâmica para saber onde ele está e sua posição se não ocupou o lugar de outro”.
  • De acordo com o especialista, tem casos de pessoas quem não nascem todos os quatro dentes sisos, essas diferenças podem acontecer, porém é necessário que o profissional seja capacitado para identificar e para lidar com grau de  dificuldades que o paciente apresenta,  como exemplo, uma abertura de boca  suficiente para extração.
  • Existem pacientes que possuem um problema chamado de Trismo que é a restrição da movimentação da mandíbula, pode ser causada por trauma em músculos, algo que deve ser tratado com um fisioterapeuta.
  • Segundo o especialista é preciso que o paciente faça um levantamento do histórico do seu dentista, peça referência para outros pacientes, busque informações com outros profissionais ou até com órgãos específicos para que tenha um atendimento de qualidade e não tenha transtorno ou sequelas.

 

Especialização

Profissionais do curso de Odontologia da Funorte oferecem o curso de bucomailofacial, que é uma especialização longa  e aborda muitas outras áreas das cirurgias de mandíbula e maxilar. Direcionados para a qualificação de acadêmicos, tudo feito com acompanhamento de profissionais com a qualificação exigida.  Além disso, esses tratamentos odontológicos são direcionados a população no campus Amazonas.

Gabriele Santos

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *