Melanoma é um dos tipos de câncer de pele que tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele). A doença representa apenas 3% das neoplasias malignas do órgão, apesar de ser o mais grave, devido à sua alta possibilidade de metástase.

Esse tipo de câncer pode surgir em qualquer parte do corpo mesmo nas áreas não expostas ao sol. O principal sintoma é uma mancha na pele, mas no local da mancha ou ao redor podem surgir sensação de coceira, queimação ou sangramento.

A coordenadora do curso de Enfermagem da Fasi, Claudia Daniella Leão, alerta sobre os sintomas. “Quando a mancha aparece, é necessário investigar pontos como assimetria (uma metade da mancha não parece com a outra), bordas (mancha apresenta bordas irregulares), cor (mancha com vários tons de cores), pois podem aparecer diferentes nuances de marrom, castanho ou preto; dimensão da mancha: diâmetro maior dos 6 mm, mas, às vezes, pode apresentar um tamanho menor ao ser detectado; evolução ou mudança: alteração no tamanho, no formato, na cor, no relevo ou qualquer novo sintoma, como sangramento, coceira ou formação de crosta. Essa regra é chamada de ABCDE”, destacou a coordenadora.

Segundo Cláudia Daniella o diagnóstico é feito pela avaliação clínica e exame anátomo patológico (biópsia) do tecido suspeito. O mais importante é as pessoas estarem atentas a qualquer sinal na pele: uma nova lesão (pinta ou mancha), ou quando uma lesão antiga tiver algum tipo de modificação (mudança das características de uma pinta ou mancha que já existia).

Claudia ainda comenta como evitar esse tipo de câncer. “Para prevenir é preciso evitar os piores horários de exposição ao sol (10 às 16 horas), fazer uso de protetor solar, óculos de sol, chapéus e roupas que protejam a pele dos raios ultravioleta. É importante também o incentivo para que as pessoas se autoexaminem”. E completa ressaltando sobre medidas que devem ser tomadas pelo profissional que acompanha pacientes com suspeitas do caso. “O profissional precisa estar atento aos sinais de manchas ou pintas e se basear no teste ABCDE. Quando suspeitar de alguma lesão, encaminhar o paciente para investigação permitindo o diagnóstico e tratamento precoces”, concluiu.

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *