O Protocolo de Manchester é um mecanismo para classificação de riscos usado em urgência/emergência. Ele é representado através das pulseiras recebidas na triagem do hospital. este tema foi o assunto central da palestra ministrada no Campus JK, no dia 22 de setembro, pelo professor Manoel Emiliano.

Manoel Emiliano explicou sobre o protocolo, seu início, o interesse de ser implantado no Brasil, as vantagens e desvantagens, como era antes dele e o que mudou após sua utilização. “Os futuros profissionais precisam entender que existem urgências maiores e que têm prioridade e, por isso, precisam saber controlar isso porque as pessoas são egoístas e não veem os outros que também estão passando mal” explica. Antes do protocolo, não havia um grau de prioridade, quem chegasse primeiro seria atendido e, se um paciente chegasse depois com uma enfermidade mais urgente, ele morria esperando.

Acadêmica do 2º período, Alda Maria Christo, resolveu fazer esse minicurso para ajudá-la no estágio que iniciou. “Aprendi nesse curso como classificar os casos mais graves e aprofundei meu conhecimento também. Comecei meu estágio de atendimento agora e o assunto aprendido no curso vai me ajudar muito na prática”, ressalta.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *