Inep divulgou a ‘Cartilha da Redação’ nesta sexta-feira (28); proposta de intervenção que respeite os direitos humanos, porém, continua sendo obrigatória para que redação tire nota mil

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, nesta sexta-feira (28), a “Cartilha da Redação” da edição 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), uma espécie de manual que explica aos candidatos como funciona a correção da prova de redação e o que pode ou não pode ser feito na prova (baixe aqui o documento em pdf).

Pela primeira, o Inep retirou da lista de razões para uma redação levar a nota zero o item “desrespeito aos direitos humanos”. O motivo da mudança foi para atender a uma decisão judicial que, em 2017, proibiu

Em julho, o Inep já havia antecipado ao G1 que seguiria a decisão judicial para “garantir tranquilidade aos participantes”.

Nem nota zero, nem nota mil

Desde o Enem do ano passado, desrespeitar os direitos humanos na redação não leva nota zero. Porém, a atitude também garante que o candidato não vai receber a nota mil.

Isso porque as regras da redação mencionavam o respeito aos direitos humanos em dois momentos, e da decisão judicial só diz respeito a um deles, justamente os motivos para a nota zero.

O outro momento em que a “Cartilha da Redação” proíbe essa prática é nas regras das competências.

A redação de cada candidato é corrigida de acordo com cinco competências. A competência 5 exige do estudante “Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanas”.

Como a nota final representa a soma de cada competência, e cada uma pode render ao candidato no máximo 200 pontos, caso o estudante inclua, em sua proposta de intervenção, alguma medida que desrespeite os direitos humanos, ele pode receber menos pontos nessa competência e, no fim, ficar mais longe da nota mil.

O que rende nota zero no Enem 2018?

De acordo com a cartilha deste ano, três mudanças foram feitas à lista de motivos para um candidato ficar com nota zero na redação do Enem. A primeira foi a retirada do item “desrespeito aos direitos humanos”.

A segunda foi a inclusão de mais detalhes no item “impropérios desenhos e outras formas propositais de anulação”: agora, o Inep deixa claro que números ou sinais gráficos fora do texto também rendem nota zero.

Por fim, a terceira foi uma maior rigidez na regra que proibia texto em língua estrangeira. Até o ano passado, só levava nota zero a redação que tivesse “texto integralmente em língua estrangeira”. No Enem 2018, porém, também terá a prova anulada o candidato que tenha “texto predominantemente em língua estrangeira”.

Veja abaixo a lista de motivos para uma redação do Enem 2018 levar nota zero:

Fuga total ao tema.
Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa.
Extensão de até 7 linhas.
Cópia integral de texto(s) motivador(es) da Proposta de Redação e/ou de texto(s) motivador(es) apresentado(s) no Caderno de Questões.
Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação (tais como números ou sinais gráficos fora do texto).
Parte deliberadamente desconectada do tema proposto.
Assinatura, nome, apelido ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante.
Texto predominantemente em língua estrangeira.
Folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.

Calendário do Enem

O Enem 2018 acontecerá em dois domingos, nos dias 4 e 11 de novembro:

04/11: primeiro dia de provas

Provas: linguagens (45 questões), ciências humanas (45 questões) e redação
Duração: 5h30
Abertura dos portões: 12h
Fechamento dos portões: 13h
Início das provas: 13h30
Encerramento das provas: 19h

11/11: segundo dia de provas

Provas: ciências da natureza (45 questões) e matemática (45 questões)
Duração: 5h
Abertura dos portões: 12h
Fechamento dos portões: 13h
Início das provas: 13h30
Encerramento das provas: 18h30

Fonte: https://g1.globo.com

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *