As Faculdades Integradas do Norte de Minas- Funorte realizaram, no dia 24 de maio, palestra macro de abertura da “Semana Integrada de Atividades Acadêmico-Profissionais- SIAP 2017” para os cursos das áreas Humanas, Sociais e Exatas (Engenharias).

Organizado pela Diretoria de Extensão da Funorte, em parceria com coordenações das graduações das diversas áreas, o evento abordou o tema: “Empreendedorismo, pesquisa e startups” e contou com a participação de profissionais das instituições Minas Up, Fundetec, Sectes, Romsoft Multimídia e Sedetur.

A coordenadora de extensão Funorte, Marcela Pamponet, ressaltou sobre a importância de trazer temas inovadores para os acadêmicos. “A SIAP está na sua sexta edição e é importante, pois traz a renovação e atualização de conhecimentos por meio de atividades extraclasse. Ou seja, os acadêmicos aprimoram o saber sobre assuntos estudados em sala e complementam nesta semana de atividades”, frisa.

Durante o evento, professores e estudantes participaram de atividades, como minicursos e palestras, sobre temas relevantes para cada área. Segundo o diretor geral das Engenharias Integradas Funorte, Pedro Almeida Souza, estas abordagens são de extrema importância para trazer conhecimento ao acadêmico. “O assunto startup está sendo discutido muito porque é uma nova forma de fazer com que os acadêmicos ao invés de quererem ser empregados, busquem através do empreendedorismo, o seu próprio negócio e, inclusive, incentivá-los a fazerem seus TCC’s embasados em planos de negócio e, assim, fazer com que tenham a possibilidade de criar uma empresa via pesquisa realizada durante o período acadêmico”, destacou o diretor.

A diretora administrativa da Fasi, Sabrina Gonçalves, falou sobre a oportunidade que os estudantes têm de aprimorar seus conhecimentos durante a SIAP. “A coordenação e diretoria de extensão, bem como os coordenadores de cursos, sempre pensam em ideias e temas inovadores quando lançamos o desafio de montar o SIAP. E são sempre temas que agregam algo a mais na formação e no currículo dos nossos acadêmicos”, ressaltou.

Durante a abertura foi realizada uma mesa de debate com profissionais empreendedores de Montes Claros e região. O professor Marcus Gonçalves Caldeira, que coordenou o debate, explicou sobre o tema. “Dentro da cidade foi criado um ecossistema de negócios, formado por empresas com potencial para se tornarem grandes e que estão se destacando no mercado por meio da geração de renda, riqueza e trabalho para a nossa região”, frisou o docente.

Um dos palestrantes, Haroldo de Moraes Lopes, representante da Fundetec, destacou a necessidade de incentivar estudantes a desenvolverem o empreendimento em seus trabalhos. “Pretendemos fazer com que eles acreditem mais num processo que está acontecendo hoje, que são os startups. Eles representam, aproximadamente, 60% da economia americana. Então nosso trabalho vai ser incentivar os acadêmicos”, disse.

Fernando Henrique Toledo, da Minas Up, deu dicas para que os alunos obtenham sucesso em seus projetos. “Para empreender não basta termos bons produtos e serviços, isto é importante, mas precisamos de algo além, este algo além é o bom relacionamento, seja com parceiros, com sócios e novas pessoas que iremos conhecer que vão agregar ao seu empreendimento”, ressaltou.

A mesa foi composta, ainda, pelo representante da Sectes, Renan Teixeira, que abordou sobre a relevância do tema dentro das instituições de ensino. Segundo ele, “Os acadêmicos devem estar atentos à comunidade de empreendedores e, participarem de palestras e eventos que acrescentem mais a seus projetos”. Além, do representante da Romsoft, Rômulo Eustáquio da Silva, que abordou sobre as tecnologias que são tendências atualmente. “Houve uma reinvenção dos serviços devido o crescimento do uso de internet e é interessante os estudantes ficarem atentos para as mudanças constantes que estão acontecendo o tempo todo”, frisou.

Para o representante da Sedetur/Minas, Bruno Garcia, que também é egresso da Funorte, a instituição inovou bastante em incentivar os estudantes a criar metas e planejar sobre a vida profissional. “É muito interessante ver que a Funorte está atualizando. E os alunos precisam também se engajar, eles precisam perceber que as mudanças não são para daqui alguns anos, pois elas já estão acontecendo e muitos não estão preocupados com isto. Mas é essencial estar atento, pois elas impactam o mercado de trabalho, em empregos, salários e na sua realização de vida”, destacou.

Para o acadêmico do 1º período de Engenharia Mecânica, Rodrigo de Figueiredo Souza, o incentivo da Funorte é importante para o desenvolvimento do acadêmico. “Este processo vai mostrar qual o melhor caminho para quem deseja administrar e quais atitudes e iniciativas devemos tomar diante do mercado”, concluiu.

Greiciely Rodrigues

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *