Considerada uma mídia que conquista cada vez mais espaço na web, o podcast surgiu com a ideia de expor opiniões sobre os mais diversos assuntos. O termo é uma junção das palavras iPod e broadcast, que significa transmissão via rádio, mas que diferencia do tradicional veículo por ser ouvido a qualquer hora.

Uma recente criação deste modelo é o podcast “Vai de Retro!”, que surgiu em março de 2016. O radialista e idealizador do projeto, Dhiogo Revert, explica que sempre quis criar um conteúdo voltado aos  antigos games  e que viu no podcast, a chance de concretizar este sonho. “Minha paixão, desde a infância, era criar um conteúdo voltado aos games antigos. Então, fui apresentado ao mundo do Podcast pelo DH Passos; que é a voz do “Bit”, o Morcego 8-Bit mascote e um dos personagens do programa. À partir daí, percebi que este era o caminho mais natural, já que venho do rádio e o podcast é uma das vertentes deste tipo de comunicação. Assim, me juntei a outros três colecionadores de games antigos (o Daniel San, de São Paulo; Luccas Silveira, do Mato Grosso; e o Frank Santiago, de Monte Azul; estes dois últimos residentes em Montes Claros) para criarmos o “Vai de Retro!”, que é uma mídia destinada aos vídeo games antigos e à nostalgia aliada a eles”, destacou Dhiogo.

Ele cita, ainda, que a parceria entre os quatro se deu por acaso. “Conheci o Daniel em um grupo de Facebook de retrogamers. Já o Frank e o Luccas, em um grupo local de whatsapp, em que perguntei: “Alguém aí curte games antigos e gostaria de fazer comigo um projeto?”. Eles foram os dois que me chamaram, e não poderíamos ter formado equipe melhor”, frisou o radialista.

Após o contato, começaram a trabalhar as redes sociais, enquanto se organizavam para gravar os programas. Dhiogo ressalta que as gravações dos primeiros episódios foram feitas em 2016, mas alguns tiveram que ser regravados e, em 2017, tiveram um incentivo para focarem nas gravações dos próximos. “Neste ano, participamos do 99Vidas, um outro podcast de games antigos; que aumentou a responsabilidade de lançarmos os episódios por termos nosso site citado por lá. Fomos citados, também, pelo Alô Técnica; dos editores do Nerdcast; e pelo Luide; um dos integrantes do Não Ouvo; como um dos “100 podcasts que precisam ser ouvidos”, destacou.

Com uma responsabilidade maior, foi definida a periodicidade de episódios do Vai de Retro!. Frank Santiago fala de como é feita a escolha dos temas e frequência de divulgação. “Geralmente, os episódios saem de 15 em 15 dias. A escolha do tema é feita por todos nós. Apesar de existirem temas preestabelecidos, não existe um roteiro, o que nos permite improvisar bastante. Existe uma interação natural entre nós, que nos dá uma possibilidade de fazer  episódios com muito humor e, principalmente, muito conteúdo. Nossa intenção é fazer algo de extrema qualidade e com conteúdo bacana, por isso exige certa demora na entrega”.

Apesar do empenho e conhecimento do assunto, Luccas Silveira revela que o projeto teve algumas dificuldades no início. “O podcast já existe há um ano, mas só agora estamos de fato postando os episódios! Devido alguns problemas na agenda dos apresentadores, dificuldades nas gravações via skype, entre outros imprevistos menores que dificultaram no andamento da execução. Entretanto, após decidirmos gravar em um estúdio profissional o projeto ganhou força e temos um ótimo feedback dos nossos ouvintes, sendo gratificante o reconhecimento. Apesar das dificuldades todos os apresentadores amam o tema, o que facilita passarmos pelas adversidades que aparecem”, citou Luccas.

Para conhecer o podcast e sentir a nostalgia aliada aos antigos videosgames é só acessar o site  http://vaideretro.com.br/. Lá irão “relembrar como era mexer nas chaves de um Atari 2600, alugar um cartucho de Nintendinho, soprar os cartuchos de Super Nintendo. Além de reviver grandes franquias, trilhas sonoras, os tempos de fliperama, etc”, cita Dhiogo. Que conclui destacando o objetivo do projeto. “Nossa função é remeter à essa época deliciosa da vida, em que a única preocupação era saber se conseguiríamos passar com os amigos por uma fase difícil. Claro, tudo isso aliado ao entretenimento e o bom humor característico do Vai de Retro!”, conclui Dhiogo.

Greiciely Rodrigues

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *