A busca pela saúde fez com que a prática de atividades físicas tornasse comum na vida de várias pessoas. Porém, é necessário que haja orientação médica e o acompanhamento de um educador físico para evitar problemas musculares e ortopédicos.
Gabriel Ferreira Silva é egresso do curso de Educação Física Funorte e explica sobre os danos que a prática incorreta pode causar. “A falta de orientação pode ocasionar várias lesões e, até mesmo doenças como tendinite patelar, que provoca dores no tendão do joelho; estiramentos musculares, geralmente quando há exageros na prática de exercícios; enfraquecimento do sistema imunológico, também causado pelos excessos, além de problemas articulares e cardiorrespiratórios”, destaca o educador físico.
A avaliação médica é essencial não somente no início das práticas, mas também ao longo das atividades. Segundo Gabriel, “o acompanhamento médico visa contribuir para a segurança cardiovascular, minimização de riscos de lesões e apoio para a prescrição adequada de exercícios de acordo com o objetivo do praticante”.
Ele frisa, ainda, quais cuidados devem ser considerados na hora de praticar até mesmo uma simples caminhada. “É preciso respeitar o limite do corpo. O ideal é praticar numa de frequência de, no máximo, cinco vezes por semana e descansar durante dois dias para recuperação. Utilizar tênis confortável, roupas que garantam a transpiração do corpo e, principalmente, alongar antes e depois da atividade”, destaca.
Respeitando todas as recomendações médicas e orientações do educador físico, o praticante garante todos os benefícios do exercício praticado. Gabriel explica que estes benefícios são: “melhoria da circulação sanguínea, fortalecimento do sistema imunológico, aumento do metabolismo, diminuição do risco de doenças cardíacas, fortalecimento de ossos e músculos, melhora da coordenação motora, entre outros”, finalizou o egresso.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *