Entre os dias 15 e 17 de agosto, as diretoras Thalita Pimentel (diretora acadêmica da plataforma Norte de Minas) e Sabrina Gonçalves (Diretora administrativa da Fasi) participaram do I Congresso Internacional de Educação promovido pela Unimontes.

O evento de caráter internacional reuniu em Montes Claros/MG, acadêmicos da graduação, pós-graduação e professores da Educação Básica e da Educação Superior de diferentes universidades do país e do exterior, bem como pesquisadores de diferentes grupos de pesquisa que debateram temas como diversidade, formação e saberes docente.

Além da participação em mesas redondas e oficinas, as diretoras da Funorte apresentaram 3 trabalhos científicos de autoria própria. Sendo 2 resumos simples na modalidade poster que discutiram temas relacionados a auto avaliação institucional e absenteísmo docente e um resumo expandido na modalidade comunicação  oral que abordou a importância  do coordenador de curso na gestão do curso de graduação.

O trabalho “Autoavaliação institucional como ferramenta de melhoria do processo ensino-aprendizagem: um relato de experiência”, apresentou o relato de experiência do trabalho desenvolvido pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Fasi. Neste trabalho foi apresentado como  o processo de autoavaliação institucional da Fasi  é incorporada no ato do ensino e integrada na ação de formação, fato que a caracteriza como um importante instrumento de melhoria da qualidade do ensino na medida em que permite a identificação de problemas.

O processo de autoavaliação institucional adotado pela IES em consonância com sua finalidade precípua produz insumos para melhoria contínua do processo ensino-aprendizagem”, afirma Sabrina.

O segundo trabalho intitulado “Absenteísmo docente e o processo de ensino-aprendizagem” teve como objetivo avaliar o índice de absenteísmo por transtornos mentais em uma IES, bem como o impacto do absenteísmo no processo de ensino-aprendizagem. Este estudo apontou como o processo de ensino-aprendizagem pode ser influenciado pelo absenteísmo docente. Este estudo apontou que as situações de estresse, ansiedade e depressão são os principais transtornos que afetam os professores e consequentemente os levam ao afastamento do trabalho docente.

Segundo a diretora da Fasi, Sabrina Gonçalves: “a ausência do professor pode ocasionar nos alunos uma situação de desconforto e impedir ou atrapalhar o processo de ensino-aprendizagem, visto que a troca ou substituição contínua de professores não permite a construção dos vínculos afetivos e continuidade de conteúdos”.

O trabalho intitulado “Instituição de ensino superior privado e o coordenador de curso como ferramenta de gestão – estudo de caso em uma instituição de Montes Claros/MG” foi apresentado na modalidade comunicação oral, debateu sobre a importância da atividade do coordenador de curso no processo de gestão de instituição de ensino superior privado e suas implicações na gestão da atividade docente.

 “O coordenador é peça fundamental para o trabalho universitário, mas a construção da sua identidade e da qualificação para o exercício da sua função exige o desenvolvimento da autonomia, capacidade de fazer gestão, inovação, pesquisa e, sobretudo, a produção e difusão de conhecimentos científicos, por meio da gestão de seus professores”, conclui a diretora acadêmica Thalita Pimentel.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *