Nesta sexta-feira, 27 de julho, a diretora acadêmica da Plataforma do Norte de Minas e diretora do curso de Medicina Funorte, Thalita Pimentel, foi entrevistada pelo radialista Fred Silva, na rádio Expressão FM, 104,9; onde abordou temas como empenho da instituição na melhoria contínua da educação.

Segundo Thalita Pimentel, a entrevista contribuiu na discussão, de modo esclarecedor, dos processos pedagógicos da instituição. “Estar aqui hoje não só fomenta a discussão, mas permite que dê visibilidade àquilo que a Faculdade está pensando em desenvolver. A obrigação da academia é pensar em processos educacionais que sejam mais arrojados e que dê conta de fazer as pessoas entrarem no mercado de trabalho melhor preparados para o nível de concorrência que elas vão enfrentar”, destaca a gestora.

Já Fred Silva, ressaltou o diferencial de seu programa. “O meu programa tem o diferencial de fazer uma pesquisa sobre o tema, buscando o profissional habilitado para falar sobre o assunto, mas numa linguagem simples, tirando um pouco daquele formalismo técnico, passando para os ouvintes uma opinião diferenciada”, explica o radialista.

A diretora, ainda, comentou sobre o que os acadêmicos, calouros e veteranos, devem esperar do segundo semestre de 2018. “Podem esperar uma escola preparada para recebê-los, para transformar a vida deles. Nós vamos poder escutá-los mais, estamos criando canais de contato mais abertos para os estudantes, vamos divulgar informações do que a escola é em vídeos curtos, em formato de wattsapp. Estamos, ainda, tentando fazer uma aproximação de estudantes através do NAE (Núcleo Acadêmico Estruturante) com líderes de sala”, frisou a diretora.

Além disso, ela falou sobre o papel cada vez maior da mulher no mercado de trabalho. “No ponto de vista de sermos mulheres, as dificuldades que enfrentamos no mercado de trabalho, de modo geral, são enormes desde sempre. Ainda sofremos um preconceito muito alto, os salários são menores que o dos homens na maioria das vezes, a mulher tem que fazer imposição, inclusive sob o aspecto visual. A mulher, ainda, está muito vinculada á escola de educação básica, mas quando passamos para o processo de gestão, não deixa de ser uma conquista feminina, sem dúvida nenhuma, e fico muito orgulhosa como mulher de poder conquistar isso e ser companheira de muitas outras mulheres que têm cargos semelhantes ao meu dento da própria instituição Funorte”, finaliza Thalita Pimentel.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *