Acadêmicos de Jornalismo, professores e convidados participaram da roda de conversa Fotojornalismo: Prática e Possibilidades. A convite dos alunos do 5° período e da professora Lidiane Silva. Os fotojornalistas Dione Afonso, Solon Queiroz e Manoel Freitas dividiram suas experiências no exercício da profissão. 

Docente do curso, Lidiane ministra a disciplina de Fotografia e esclarece que o objetivo do bate-papo é promover aos estudantes a troca de vivência com os fotógrafos. “Os convidados começaram fazendo relatos sobre a carreira e apresentaram alguns de seus trabalhos, depois abriram para perguntas. Com esse espaço para uma troca de ideias, os alunos conseguem assimilar melhor o que é falado na sala de aula”, ressalta.

Olhar fotográfico, ética na profissão e relevância da imagem no jornalismo foram algumas das questões debatidas. Para o acadêmico Matheus Durães, “esse contato com os profissionais estimula a comunicação, a partilha de sentimentos, opiniões e discussões, ampliando e fortalecendo as relações interpessoais no mercado de trabalho”, conclui.

Acadêmica do 5º período, turma responsável pela organização, Mariana Isabel Santos ressalta as contribuições do bate-papo.  “Ver exemplos práticos das técnicas que aprendemos em sala, conhecer os equipamentos utilizados em cada situação, o que funciona ou não, tudo isso é agrega no nosso conhecimento para exercer o trabalho futuramente”.

Fotojornalismo e suas possibilidades

Atualmente como fotojornalista e repórter no Jornal O Norte, Manoel Freitas já passou por diversos veículos de comunicação em Montes Claros e região. “Cada convidado trouxe um pouco da sua experiência. Cada um tem sua história, seu jeito de lidar com os personagens e sua forma de fotografar. Esse contato enriquece os dois lados, é um aprendizado contínuo”, revela.

O fotógrafo já catalogou cientificamente mais de 4045 aves de diferentes espécies e retratou nações indígenas, como o povo Xakriabá. “É uma profissão desafiadora, quando você vai a mata você não tem obrigação de trazer a imagem, mas se você for generoso a natureza não se esconde, nem se oculta”, expõe.

Matheus também começou a explorar a fotografia quando iniciou o curso na Funorte. O acadêmico do 7° período ressalta, “foi uma conversa proveitosa, falamos o dia a dia da profissão, e foi possível e compreender os desafios do trabalho”.

A roda de conversa faz parte do projeto organizado pela coordenação, que busca aproximar os acadêmicos de profissionais e do mercado de trabalho.
O próximo encontro será dia 16/04, com a temática “Comunicação e Religião”.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *