Representantes da Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), do Núcleo de Práticas Jurídicas da Funorte (NPJF) se reuniram no dia 22 de agosto na sede do NPJF. O objetivo foi tratar do convênio firmado entre as duas instituições no dia 13 de Julho de 2018. Os acadêmicos de Direito terão a oportunidade de aperfeiçoar seus conhecimentos ao acompanhar, in loco, os defensores públicos nos atendimentos. De acordo com o Defensor Público e Coordenador Regional Norte da DPMG em Montes Claros, Excelentíssimo Doutor Cláudio Fabiano Pimenta: “O estágio permitirá ao bacharelando o acesso a infindáveis conhecimentos da prática jurídica, de várias áreas do Direito, além de poder se sensibilizar com as necessidades da população que depende do Defensor Público para garantir acesso à justiça. Assim, esta parceria firmada com o Núcleo de Práticas Jurídicas da Funorte inaugura uma via de quatro mãos que favorecerá a Defensoria Pública, a Instituição de Ensino, o aluno e, o mais importante, o cidadão hipossuficiente”, diz.

Coordenadora do NPJF, a professora Jane Viviane da Silva, confirma que o convênio tem grande importância para a faculdade. “Considerando que a Defensoria Pública tem a missão constitucional de prestar orientação jurídica, promover e efetivar os direitos humanos da população em situação de vulnerabilidade, e que os defensores públicos são agentes de transformação, e gozam de credibilidade e prestígio junto à sociedade civil, os acadêmicos certamente terão uma excelente oportunidade de aprendizado nas diversas práticas jurídicas”., fala e ainda completa: “teremos ainda a ampliação das nossas ações, já que de acordo com dados do IBGE, aproximadamente 80% da população brasileira é potencial usuária dos serviços prestados pela instituição,e com o acréscimo  da prestação de orientações jurídicas, eventos e  palestras informativas dentro da faculdade e para a comunidade, teremos a  diminuição dos índices de exclusão social”.

 Os representantes das instituições (DPMG e NPJF) acreditam que o termo de cooperação firmado traduz-se em concretização da dignidade da pessoa humana, quando garante e otimiza o acesso à justiça, diminuindo o déficit de cidadania  da comunidade local. A solenidade para assinatura simbólica do convênio está prevista para a primeira quinzena do mês de Setembro de 2018.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *