Foi realizada, em Montes Claros, abertura do III Neurociências – Norte de Minas. O evento interinstitucional, que acontecerá de 03 a 05 de maio, tem o objetivo de promover a discussão e busca compreender o comportamento humano a partir do binômio mente-corpo. O acontecimento contará também com palestras, minicursos, workshop, encontros e oficinas.

Chancelado pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), em parceria com a Associação Mineira de Psiquiatria (AMP-MG) e faculdades privadas, inclusive a FUNORTE, o evento teve como organizadores os membros da Liga Acadêmica de Psiquiatria (LAP-MOC), Liga de Neurologia do Norte de Minas (Neuroliga) e da Liga Acadêmica de Geriatria das FIP-MOC (LAGE-MOC), vinculadas às Universidades, sob supervisão de seus coordenadores.

O tema desta esta edição é “Neurociências: um desafio para as ciências”, tendo em vista as possibilidades de diálogo entre diferentes áreas que têm em comum objetivo construir e expandir o conhecimento das Neurociências.

Segundo o presidente do congresso, Pedro Paulo Narciso de Avelar, o evento possui vários objetivos e, um deles, é criar uma interação entre acadêmicos e profissionais da área. “Buscamos, através do congresso, proporcionar a possibilidade de aperfeiçoamento e de atualização dos profissionais e estudantes locais, com a participação de palestrantes; além de fomentar o debate entre profissionais da saúde, graduandos e docentes, sobre assuntos relacionados a Neurociências”, frisou.

Paralelo ao III Neurociências, acontece a II Jornada de Psiquiatria da Associação Mineira de Psiquiatria – organizada pela Associação Mineira de Psiquiatria (AMP). As atividades são direcionadas a profissionais neurologistas, psiquiatras, geriatras e demais especialidades médicas, bem como psicólogos, fisioterapeutas, enfermeiros, fonoaudiólogos, biomédicos, educadores físicos e acadêmicos das áreas afins.

Durante a abertura, foi realizada a palestra com tema “Neurociências: um desafio para as ciências”, ministrada pelo Doutor Márcio Flávio Dutra Moraes, que conceituou a Ciência e falou sobre a importância dos profissionais da saúde continuarem pesquisando e buscando novos conhecimentos referente à neurologia.

 Leila Silveira, coordenadora do curso de Psicologia Funorte, participou da banca e destaca a importância deste debate. “É um evento que trata de temas atuais, além de ser fundamental, já que contextualiza temáticas que envolvem saúde mental, que é um dos maiores problemas vivenciados hoje”.

O representante da Comissão Organizadora e acadêmico de Medicina, Felipe Santos Arruda, ressaltou sobre a troca de saberes que o evento proporciona. “É um congresso interdisciplinar e, exatamente por este motivo, ele buscar todas as interfaces entre a Psicologia, Psiquiatria, Neurologia, Educação Física, entre outras áreas da ciência neurológica. E é fundamental, principalmente no sentido de compartilhar um conhecimento que não costumamos ter afundo na vivência acadêmica curricular, que é esta visão mais interligada”, finalizou.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *