Serviço Social

Informações Gerais

LOCAL DE FUNCIONAMENTO: Campus São Luís
Rua Lírio Brant, 787 – Bairro: Melo
Montes Claros/MG – CEP 39.401.063
Coordenadora de curso –  Simone Torres Gusmão Santos email: coord.servicosocial@funorte.edu.br   (38) 2101-9460 –  2101-9494
Turno de Funcionamento – Noturno

Modalidade – Bacharelado

Duração Mínimo: 4 anos (8 semestres)

Missões / Objetivo

Missão

O curso de Serviço Social das Faculdades Integradas do Norte de Minas pretende contribuir para a formação de profissionais que compreendam o significado social de sua prática, com postura crítica e investigativa, estando em constante busca de aperfeiçoamento com vistas às exigências do mercado de trabalho e à realidade vivenciada.

Os alunos serão constantemente estimulados à efetiva participação na vida acadêmica. Contarão com a possibilidade de realização de pesquisas e participarão de diferentes atividades de aproximação com a realidade social.

O Curso de Serviço Social objetiva:

• Formar profissionais capacitados para a produção de conhecimentos sobre a realidade social;
• Desenvolver a capacidade de formulação, implementação, gestão e avaliação de políticas sociais;
• Organizar e implementar planos, programas e projetos desenvolvidos junto a órgãos da administração pública, direta e indireta, s, entidades e organizações da sociedade civil, que favoreçam a luta pela cidadania e a democratização da sociedade brasileira.
• Capacitar os futuros profissionais para:
• Um exame crítico e uma atuação criativa, atentos às transformações pelas quais passam o homem, o mundo e a sociedade brasileira;

• Uma vivência de experiências acadêmicas no âmbito do Serviço Social que oportunizem uma atuação crítica e criativa em sua vida profissional;
• O compromisso com a realidade social, através de atividades com um referencial prático-histórico-teórico e metodológico adequados ao exercício profissional;
• O desenvolvimento de atividades complementares, extra-classe, tendo sempre o pluralismo metodológico, a interdisciplinaridade de ações transformadoras;

• Planejamento, organização e administração de benefícios e serviços sociais;
• A realização de pesquisas que subsidiem formulação de políticas e ações profissionais;
• Prestação de assessoria e consultoria a órgãos da administração pública, s privadas e movimentos sociais em matéria relacionada às políticas sociais e à garantia dos direitos civis, políticos e sociais da coletividade;
• Orientação da população na identificação de recursos para atendimento e defesa de seus direitos;
• Realização de visitas, perícias técnicas, laudos, informações e pareceres sobre matéria de Serviço Social.

Perfil Profissional

Perfil Profissional

O assistente social a ser formado deve possuir principalmente as seguintes características:

• criticidade – capacidade de analisar as relações sociais nas quais se insere seu fazer profissional de modo a decodificar sua historicidade e contradições da sociedade;
• competência teórica – ter amplo conhecimento das ciências sociais, das vertentes filosóficas contemporâneas;
• competência política – saber posicionar-se profissional e politicamente nos espaços sócio-institucionais;
• competência técnica – saber fazer com eficiência mediante amplo conhecimento dos instrumentos, técnicas e práticas profissionais;
• compromisso social com as transformações da sociedade e com a emancipação humana.

Com essas características estará apto a desenvolver as seguintes atividades:

• Atuar como consultor social, emitir pareceres, realizar diagnóstico social ou perícia em assuntos que envolvem o aspecto social do cliente;
• Trabalhar diretamente com a população, promovendo e participando de movimentos sociais, reinterpretando as políticas sociais e retomando as problemáticas sociais não contempladas por essas políticas;
• Atuar junto às organizações populares, sindicais e comunitárias, capacitando-as a participarem das políticas sociais através de expressões de certas reivindicações populares;
• Atender à população prestando orientação psico-social, sócio-econômica e sócio-política.

História

Um Pouco da história do Serviço Social

Serviço Social é uma profissão que requer formação universitária de quatro anos. O profissional é denominado de Assistente Social. A profissão dispõe de autarquias que
fiscalizam e orientam o exercício profissional e defendem os interesses da sociedade em relação aos serviços prestados.

As primeiras escolas de Serviço Social surgiram no Brasil no final da década de 1930 quando se desencadeou no país o processo de industrialização e urbanização. Nas décadas de 40 e 50, houve um reconhecimento da importância da profissão, que foi regulamentada em 1957 com a lei 3252.

Acompanhando as transformações da sociedade brasileira, a profissão passou por mudanças e necessitou de uma nova regulamentação: a lei 8662/93. Ainda em 1993 o
Serviço Social instituiu um novo Código de Ética expressando o projeto profissional contemporâneo comprometido com a democracia e com o acesso universal aos direitos
sociais, civis e políticos.

A prática profissional também é orientada pelos princípios e direitos firmados na Constituição de 1988 e na legislação complementar referente às políticas sociais e aos
direitos da população. Não pode haver qualquer tipo de discriminação no atendimento profissional.

O que faz um assistente social

Realiza estudos e pesquisas para avaliar a realidade e emitir parecer social e propor medidas e políticas sociais;
Planeja, e executa planos, programas e projetos sociais; Presta assessoria e consultoria à instituições públicas e privadas e aos movimentos sociais;
Orienta indivíduos e grupos, auxiliando na identificação de recursos e proporcionando o acesso aos mesmos;
Realiza estudos socioeconômicos com indivíduos e grupos para fins de acesso a benefícios e serviços sociais;
Atua no magistério de Serviço Social e na direção de Unidades de ensino e Centro de Estudos.

Direitos
Inviolabilidade do local de trabalho e respectivos arquivos e documentação, garantindo o sigilo profissional;
Desagravo público por ofensa que atinja a sua honra profissional;
Ampla autonomia no exercício da profissão, não sendo obrigado a prestar serviços profissionais incompatíveis com as suas atribuições, cargos ou funções;
Dispor de condições de trabalho condignas, seja em entidade pública ou privada, de forma a garantir a qualidade do exercício profissional;
Manter o sigilo profissional para proteger o usuário em tudo aquilo de que o Assistente Social tome conhecimento, como decorrência do exercício da atividade
profissional.

Deveres

 Abster-se, no exercício da profissão, de práticas que caracterizam a censura, o cerceamento da liberdade, o policiamento dos comportamentos, denunciando sua
ocorrência aos órgãos competentes;

 Garantir a plena informação e discussão sobre as possibilidades e conseqüências das situações apresentadas, respeitando democraticamente as decisões dos
usuários, mesmo que sejam contrárias aos valores e às crenças individuais dos profissionais.

 Democratizar as informações e o acesso ao programas disponíveis no espaço institucional, como um dos mecanismos indispensáveis à participação dos usuários;

 Contribuir para a criação de mecanismo que venham desburocratizar a relação com os usuários, no sentido de agilizar e melhorar os serviços prestados;

 Empenhar-se na viabilização dos direitos sociais dos usuários, através de programas e políticas sociais;

 Denunciar, no exercício da profissão às entidades de organização de categoria, às autoridades e aos órgãos competentes, casos de violação a Lei e dos Direitos
Humanos, quanto a: corrupção, maus tratos, torturas, ausência de condições mínimas de sobrevivência, discriminação, preconceito, abuso de autoridade individual e institucional, qualquer forma de agressão ou falta de respeito à integridade física, social e mental do cidadão.

 Respeitar a autonomia dos movimentos populares e das organizações dos trabalhadores.
É VEDADO AO ASSISTENTE SOCIAL

 Praticar e ser conivente com condutas anti-éticas, crimes ou contravenções penais na prestação de serviços profissionais.

 Acatar determinação institucional que fira os princípios e diretrizes do Código de Ética profissional.

 Revelar sigilo profissional.

ALGUNS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS OBEDECIDOS PELO ASSISTENTE SOCIAL

Defesa intransigente dos direitos humanos e recusa do arbítrio e do autoritarismo.

Posicionamento em favor da equidade e justiça social, que assegure universalidade de acesso aos bens e serviços relativos aos programas e políticas sociais,
bem como sua gestão democrática;

Compromisso com a qualidade dos serviços prestados à população e com o aprimoramento profissional.

ONDE TRABALHA O ASSISTENTE SOCIAL

O Assistente Social atual no campo das políticas sociais o objetivo de viabilizar os direitos da população: na saúde, na educação, na previdência social, na habitação, na
assistência social e na esfera do trabalho. Atua na justiça, nas Varas de Infância e Juventude, da Família e nas instituições do sistema penal e de medidas socioeducativas para jovens em conflito com a lei.

FALSO

 O trabalho do assistente social é voluntário, exercido de forma gratuita
 O assistente social trabalha somente com os pobres.
 Assistente social = Assistencialismo = Serviço Social.
 Qualquer um faz Serviço Social, inclusive políticos e religiosos

VERDADEIRO

O assistente social é um profissional de Serviço Social que exerce seu trabalho de forma remunerada, nas organizações públicas e privadas, com competência e atribuições
específicas, para atuação em diferentes áreas.
O Serviço Social é uma profissão de homens e mulheres, que atuam na realidade social através do atendimento das demandas, elaboração de pesquisas e construção de
propostas que visam o atendimento às necessidades sociais da população. A associação da“moça boazinha” ao profissional de Serviço Social se deve ao senso comum de que a ajuda e o cuidado do outro são atribuições da figura feminina.

O trabalho não se restringe à pobreza. Entretanto, a realidade social econômica do Brasil faz com que o trabalho do assistente social seja, em grande parte, com a
população mais empobrecida da sociedade. Ao efetivar direitos, ação profissional atinge outras parcelas da população.

Assistência Social: é uma política publica de atenção e de defesa de direitos, regulamentada pela Lei Orgânica da Assistência Social. Destina-se à população mais
vulnerável, com o objetivo de superar exclusões sociais e defender e vigiar os direitos de cidadania e de dignidade humana.

Assistencialismo: é o contraponto do direito, da proteção social ou seguridade social. É um acesso a um bem através de uma doação. Com o assistencialismo não há a
garantia de cidadania, pois o acesso à condições plenas e dignas de vida dos cidadãos é conseguido não há a garantia de cidadania, pois o acesso à condições plenas e dignas de vida dos cidadãos é conseguido através de favor, à espera da boa vontade e interesse de
alguém.

Serviço Social: é uma profissão que atua no campo das políticas sociais, entre estas, a da Assistência Social. Opõe-se ao assistencialismo através de uma prática que visa
a expressão dos direitos e a emancipação da sociedade.

A expressão “Serviço Social” é privativa de uma profissão regulamentada, que só pode ser exercida por assistentes sociais. Não se deve usar esta expressão para identificar
práticas assistenciais.

Coordenação

COORDENADORIA

Simone Torres Gusmão Santos

Especialização em Docencia do Ensino Superior pelo Instituto Prominas, Brasil(2008)
Assistente Social do Faculdades Unidas do Norte de Minas , Brasil

Acesse o currículo Lattes

email: coord.servicosocial@funorte.com.br
(38) 2101.9494

Consulta Biblioteca

Utilize o link abaixo para consultar o acervo da Biblioteca:

UNIDADE JK – Consulta online – Clique Aqui

Estágio

Definição de estágio curricular

O estágio supervisionado curricular, nos termos da legislação em vigor, é parte indispensável e indissociável do curso de graduação. Seu objetivo fundamental é possibilitar ao acadêmico uma experiência de aprendizagem profissional e competente para que o aluno se torne progressivamente responsável por tarefas típicas do seu campo de ação profissional, consideradas as prerrogativas e limitações de sua formação segundo a normatização legal vigente. O estágio curricular do curso de Serviço Social está sob a coordenação da Prof. Mestre Angela Ernestina Cardoso de Brito.

A carga horária a ser cumprida no estágio curricular do Curso de Serviço Social da Funorte segue as diretrizes da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social – ABEPSS.

O estágio será cumprido segundo exigências do seu período corrente:
– 5º período: 100 horas de atuação e 20h de leituras e fichamento, totalizando 120 horas semestrais;
– 6º período: 120 horas de atuação e 20h de leituras e fichamento, totalizando 140 horas semestrais;
– 7º período: 140 horas de atuação e 20h de leituras e fichamento, totalizando 160 horas semestrais.

Carga horária a ser cumprida semanalmente:
– 5º período: 4 horas de atuação e 2h de leituras e fichamento;
– 6º período: 8 horas de atuação e 2h de leituras e fichamento;
– 7º período: 12 horas de atuação e 2h de leituras e fichamento.

– Toda negociação sobre cumprimento e alterações de dias deverá ser discutido com a coordenadora de estágio juntamente com a supervisor de campo.
– O supervisor estabelecerá normas e procedimentos internos de cada campo;
– A disciplina de oficina de supervisão de estágio é seu espaço para questionamentos e solução de dúvidas pertinentes ao estágio;
– Tudo aquilo vivenciado no estágio deverá ser registrado como requisito para disciplina de oficina de supervisão de estágio (diário de campo);
– A carga horária de estágio deverá ser cumprida desde a primeira semana de aula;
– O aluno que não cumpre estágio será automaticamente reprovado;
– As atividades teóricas desenvolvidas na disciplina (oficina de estágio) são baseadas na prática do campo de estágio como:

– O diário de campo;
– O relatório bimestral;
– O relatório semestral;
– Confecção de portifólio;

– O plano de estágio será produzido pelo aluno com a orientação do supervisor de campo e revisão do professor da disciplina de oficina de supervisão de estágio;
– Os prazos pré-estabelecidos deverão ser impreterivelmente cumpridos;
– Uma vez iniciado o estágio em determinado campo, o acadêmico não poderá optar por outro campo no mesmo semestre.

Mostra de Estágio ou Seminário de estágio

Foi realizada pela primeira vez no 1º semestre do ano de 2007, idealizada pela coodernadora de estágio Angela Ernestina Cardoso de Brito e pelos alunos do curso de serviço social. É uma atividade produzida e realizada pelos acadêmicos que estão inseridos e campos de estágio. É requisito parcial para obtenção de nota na disciplina de oficina de supervisão de estágio.
Será realizado ao final de cada semestre tendo o apoio da coordenação de estágio, do conjunto de professores orientadores e supervisores.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *