Comunicação Social

Informações Gerais

LOCAL DE FUNCIONAMENTO: Campus São Luís  – Rua Lírio Brant, 787 – Bairro: Melo Montes Claros/MG – CEP 39.401.063   –    (38)2101-9494
Coordenador de curso – Elpídio Rodrigues Rocha Neto

Email: coord.jornalismo@funorte.edu.br

elpidiorochaneto@soebras.com.br

(38) 2101-9494

Modalidade – Bacharelado

Turno – Noturno

Enade –  Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes: Conceito “4” – 2013
Enade – Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes: Conceito “4” – 2009

Enade – Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes: Conceito “3” – MEC em 2006

Renovação de Reconhecimento do Curso – Avaliação Externa Conceito “4” – INEP em 2007

História

Um pouco de História e Jornalismo

A Faculdade de Comunicação Social – Jornalismo, em Montes Claros, foi idealizada com o firme propósito de atender à crescente demanda regional nesta área de atuação implementando objetivos de discussão crítica sobre a mídia e democratização da informação e do conhecimento.

Essas idéias nortearam a criação da Associação Educacional do Noroeste, Norte e Nordeste de Minas – ASSENE, instituição que manteria o Centro Regional de Estudos em Ciências Humanas – CRECIH, estabelecimento de ensino superior responsável pelo Curso de Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo.

Em 1997, o trabalho teve êxito com a publicação do Ato Autorizativo (Portaria Nº 2240) do Ministério da Educação e do Desporto, divulgado no Diário Oficial de 23 de dezembro de 1997. Em janeiro de 1998, aconteceu o primeiro processo seletivo e as atividades letivas iniciaram-se em 10 de fevereiro – na sede provisória onde, atualmente, funciona o Centro de Estudos Indyu.

Em 03 de julho de 2000, foi inaugurado o Campus JK da FUNORTE/ASSENE. As atividades letivas do segundo semestre já se iniciaram nas novas instalações, com três turmas num total de 134 acadêmicos. Em 2001, foi realizado o quarto Processo Seletivo e, nesse mesmo ano, graduou-se a primeira turma de jornalistas formados.

Em 2004, as instalações do curso foram transferidas para o Campus São Luiz. Em maio de 2006, foi publicada e reconhecida oficialmente a mudança de local de funcionamento para as instalações situadas no Campus São Luís, na Rua Lírio Brant, n°. 787, bairro Melo, na cidade de Montes Claros, estado de Minas Gerais.

Até 2007, o CRECIH foi mantido pela Associação Educacional do Noroeste Norte e Nordeste de Minas – ASSENE. Nesse ano, foi aprovada a transferência de mantença do CRECIH para a Associação Educativa do Brasil – SOEBRAS através da Portaria Nº 889 de 18 de Outubro de 2007.

Em novembro de 2007, o curso passou pelo processo de Renovação de Reconhecimento com a Avaliação Externa do INEP. Em outubro de 2008, O CRECIH e demais unidades do grupo SOEBRAS transformam-se, num processo de evolução acadêmica, nas Faculdades Integradas do Norte de Minas – FUNORTE. Entre 2001 e 2009, graduaram-se 294 novos profissionais de Jornalismo num total de 10 turmas já formadas.

Ao longo dos 11 anos de existência, o curso de Jornalismo foi se estruturando cada vez mais com as particularidades da região do Norte de Minas e as transformações tecnológicas e profissionais do próprio fazer jornalístico. Produtos comunicacionais como o Jornal Laboratório Vide Verso, a Rádio Corredor, o Laboratório de Imprensa, o Radiojornal Quinta Freqüência, o Jornal Mural, os Telejornais CRECIH Agora e Campus Notícia, o X da Questão e a Semana da Comunicação comprovam esse processo de crescimento constante.

Frente aos desafios e as possibilidades que surgem, o curso de Jornalismo mantém o esforço de agregar valores culturais, intelectuais, éticos e profissionais à formação de jornalistas capazes de lidar com as exigências teóricas, tecnológicas e práticas da profissão. E o caminho continua sempre em frente.

Perfil Profissional

Pefil Profissional

A Faculdade de Comunicação Social busca formar profissionais que atuarão como agentes do desenvolvimento humano e da coletividade através da formação de competências profissionais – sociais e intelectuais – para criação, produção, distribuição, recepção e análise crítica dos produtos da mídia, bem como das práticas sociais e profissionais a ela relacionadas.

Conscientizando o profissional para que seja suficientemente competente para posicionar-se, de forma ética, sobre o exercício do poder na comunicação, sobre os constrangimentos a que a comunicação pode ser submetida, sobre as repercussões sociais de sua prática profissional e sobre as necessidades da sociedade contemporânea em relação à comunicação social.

Principais Atividades

  • Produções de impressos alternativos;
  • Assessorias de comunicação;
  • Rádio, televisão, repórter fotográfico;
  • Jornalismo na internet.

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para o profissional em jornalismo encontra-se em grande expansão no país e principalmente em Montes Claros. Suas atividades estão atreladas à imprensa escrita diária, semanários, emissoras abertas de televisão, emissora de canal a cabo, além de diversos canais de rádio AM e FM.

Coordenação

Coordenador

Elpídio Rodrigues Rocha Neto, possui graduação em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e especialização em Docência do Ensino Superior com enfâse em Gestão Educacional pelo ISEMOC – SOEBRAS. Atualmente é funcionário da Associação Educativa do Brasil (SOEBRAS) como docente e coordenador do curso de Comunicação Social – Jornalismo das Faculdades Integradas do Norte de Minas (Funorte). Tem experiência na área de Comunicação Social, com ênfase em Jornalismo, Cinema, Histórias em Quadrinhos e Educomunicação. É coordenador e palestrante/debatedor do projeto Cinema Comentado da Secretaria Municipal de Cultura de Montes Claros (MG), desde 2004. É membro da Comissão Organizadora do Projeto Casa da Imprensa de Montes Claros (MG). Foi um dos idealizadores e Coordenador de Programação do I Festival de Cinema de Montes Claros (MG), realizado de 10 a 14 de janeiro de 2007.

Acesse o Currículo Lattes

Extensão

Extensão

“Numa sociedade cuja quantidade e qualidade de vida assenta em configurações cada vez mais complexas de saberes, a legitimidade da universidade só será cumprida quando as atividades, hoje ditas de extensão, se aprofundarem tanto que desapareçam enquanto tais e passem a ser parte integrante das atividades de investigação e de ensino. SANTOS, Boaventura de Souza.”

A extensão universitária é na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a extensão universitária deve ser entendida como ato ou efeito de estender à comunidade social, o acesso pela Instituição de Ensino Superior-IES, indissociável, portanto, das funções de ensino e pesquisa.

Deste modo as Instituições de Ensino Superior-IES têm a oportunidade de levar até à comunidade os novos conhecimentos que produz, ao pesquisar os valores e a cultura regional e divulgando-os com o ensino. É uma forma de socializar e democratizar o conhecimento, levando-o também aos não universitários. Neste ato de comunicação dos cursos da Instituição com a realidade local , regional ou nacional, ocorre a possibilidade de renovação constante de sua própria estrutura, de seus currículos e suas ações tornando-os mais inseridos no contexto de realidade do país.

Sendo assim, o ensino necessita da extensão para levar seus conhecimentos à comunidade e completá-lo com aplicações práticas. A interdependência, portanto, entre ensino-pesquisa e extensão se faz obrigatória, pois a extensão, nas diversas áreas precisa dos conteúdos, dos educandos e dos professores para ser efetivada; necessita, ainda, da pesquisa, para diagnosticar e oferecer soluções para os diversos problemas com os quais irá deparar-se, bem como para que esteja, constantemente, atualizando-se, pois, a pesquisa não pode prescindir dos conhecimentos detidos pelo ensino, como base de partida para novas descobertas e, também do ensino e da extensão, para difundir e aplicar sua produção e, assim, indicar-lhe os novos rumos a seguir. Os cursos da Instituição esperam que, através do seu Núcleo de Extensão-NEX, possam prestar uma contribuição sócio-educacional às comunidades interna e externa, no oferecimento de atividades de extensão com qualidade e compromisso social.

Integração Ensino, Pesquisa e Extensão

O princípio da integração é o que vai possibilitar união entre o todo institucional e suas partes, fundamental para a qualidade das ações internas e externas. Assim é necessário que professores, alunos e funcionários busquem a integração, em todas as relações, de idéias e intenções, planos, projetos e programas, assim como entre setores e entre a FUNORTE e outras instituições afins.

A integração pressupõe uma atitude de abertura ao coletivo e ao entendimento da diversidade como riqueza para o crescimento. É fundamental a integração entre ensino, pesquisa e extensão; entre atividades-meio e atividades-fim, para que a qualidade das ações dê a visibilidade institucional desejada, fazendo-se cumprir sua missão. A indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão deve embasar os programas de ensino da FUNORTE, seus núcleos temáticos e suas atividades acadêmicas de iniciação científica, a mais ampla prática profissional, em articulação com a comunidade. Deve-se buscar a consolidação da metodologia de trabalho, de forma que no ensino haja espaço para a integração da pesquisa e da extensão, por meio de ações estratégicas, no sentido de:

  • criar e desenvolver linhas de pesquisa institucionalizada por meio de núcleos interdisciplinares de projetos de pesquisa e de extensão, envolvendo docentes e alunos;
  • produzir conhecimento, resultante de linhas de pesquisa e de extensão que considerem a realidade e que envolvam também empresas, favorecendo a evolução cultural, científica e tecnológica;
  • estimular o desenvolvimento da produção científico-tecnológica e sua disseminação para a sociedade, incrementando a prestação de serviços;
  • integrar as atividades complementares, Projetos Interdisciplinares e TCC´s às ações pedagógicas do Curso;
  • propiciar a orientação aos alunos em projetos de iniciação científica;
  • fortalecer programas de pós-graduação integrados com a graduação, numa visão sistêmica, implementando convênios regionais, nacionais e internacionais.

Com este posicionamento as linhas básicas de ensino, pesquisa e extensão da FUNORTE fundamentam-se na perspectiva da educação continuada.
Além de nortear-se pelo princípio da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a FUNORTE considera essencial a articulação entre as várias modalidades de ensino, por meio de programas coordenados e da prática docente em todos os níveis. Em seu projeto educacional, a FUNORTE incentiva o desenvolvimento de competências que mobilizam, integram e articulam os conhecimentos, o saber-fazer e as atitudes necessárias para a busca de soluções. Para tanto, os coordenadores devem ser orientados para a elaboração de um Perfil do Profissional e Currícular pertinente a este perfil e ao mesmo tempo buscar a implantação de programas que busquem reforçar a empregabilidade do aluno e antecipar seu ingresso no mercado de trabalho.

Política de Pesquisa

A FUNORTE estimula a pesquisa no âmbito da graduação, envolvendo docentes e estudantes no Programa de Iniciação Científica, mediante incorporação do princípio de investigação durante a formação profissional, com a supervisão de professores/pesquisadores, proporcionando a produção de conhecimento nas áreas de prioridade institucional. Incentiva também pesquisas que envolvem a aproximação entre a universidade e empresas.

A promoção da Iniciação Científica constitui um dos elementos do programa de desenvolvimento da FUNORTE. Os projetos de iniciação científica, aprovados pela Coordenação de Curso, pela Comissão de Ética, são de responsabilidade dos docentes proponentes, que orientam as atividades desenvolvidas pelos alunos.

Política de Extensão

A extensão interliga a FUNORTE por meio das atividades de ensino e de pesquisa com as demandas da sociedade e possibilita a formação profissional pessoal e social do cidadão, a prática de educação empresarial e linhas programáticas extensionistas institucionais:

1. Na dimensão da relação entre FUNORTE e sociedade, a extensão viabilizará e realizará projetos sociais, comunitários, artísticos, culturais, esportivos, com linhas programáticas tais como: integração esporte e atividade física com atenção à saúde; atendimento integral à criança, adolescentes e idosos; atenção a grupos de pessoas com necessidades especiais; melhoria da saúde; qualidade de vida; formação de mão-de-obra; qualificação para o trabalho; reorientação e capacitação profissional por meio de projetos de alfabetização, educação de jovens e adultos e de cursos profissionalizantes, tais como: Alfabetização Solidária, Inclusão Digital e Cursos para a 3ª. Idade.

2. A Política de Extensão poderá prever linhas programáticas pertinentes ao terceiro setor e à cultura. Em relação ao terceiro setor, abrangerá as áreas de práticas de atuação social – arte e cultura, cidadania e direitos humanos, desemprego ou geração de renda, desenvolvimento comunitário, direito do consumidor, educação, esportes, meio ambiente, moradia, saúde, violência. Em relação à cultura, desenvolve ações sociais e esportivas. Esses programas fortalecem a imagem da FUNORTE como instituição cidadã, com responsabilidade social.

3. Na formação profissional, desenvolverá projetos, cursos e realizará a prestação de serviços como educação corporativa, oferecerá cursos personalizados, fortalecerá a integração universidade-empresa. Baseiar-se-á no eixo temático educação para o trabalho: educação continuada, educação profissional/corporativa, capacitação e qualificação de recursos humanos, empreendedorismo, inserção no mercado de trabalho e qualidade de vida acadêmica.
Assim, desenvolverá educação corporativa, oferecerá cursos personalizados para empresas e outras instituições, de modo a atender necessidades específicas de formação profissional, de acordo com as peculiaridades de cada segmento de negócio.

ATIVIDADES DE EXTENSÃO OBJETIVOS
CURSO DE INICIAÇÃO Oferecer noções introdutórias em uma área específica do conhecimento (abaixo de 40h).
CURSO DE ATUALIZAÇÃO Reciclar e ampliar conhecimentos habilidades ou técnicas em uma área de conhecimento (acima de 40 h).
CURSO DE APERFEIÇOAMENTO Aprimorar ou aprofundar habilidades técnicas em uma área do conhecimento, podendo ter caráter eventual ou permanente; constituí-se de conjunto estruturado de disciplinas ou atividades correlatas, com carga horária mínima de 180 horas.
CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL Treinar e capacitar em atividades profissionais específicas
EVENTOS CIENTÍFICOS E TÉCNICOS Promover atividades acadêmicas científico-culturais como: Congressos; Mesas-redondas; Simpósios; Encontros – Seminários; Palestras; Conferências e Outros.
Assessorias / Consultorias atividades de transferência à comunidade do conhecimento gerado e instalado na Instituição.
PROJETOS DE EXTENSÃO Integrar os professores e acadêmicos com a comunidade através dos projetos de extensão, aumentando o campo de atuação e aperfeiçoamento dos acadêmicos e melhorando a qualidade de vida da comunidade em geral.

Jornal Acadêmico

Clique e confira o Jornal O Norte de Minas.

Laboratórios específicos

LABORATÓRIO FINALIDADE
INFORMÁTICA Laboratório utilizado do 1º ao 8º períodos para acesso à internet, aulas de informática e demais disciplinas que se servem dos recursos informacionais como suporte ou ferramenta de trabalho.
REDAÇÃO JORNALÍSTICA & PLANEJAMENTO GRÁFICO Laboratório destinado às atividades experimentais de produção de mídia impressa além de criação e treinamento de textos para a mídia em geral.
O seu uso associa-se, em especial, às disciplinas de Jornalismo on Line, Planejamento Gráfico e Tratamento Digital da Imagem – além das disciplinas de Redação Jornalística.
RÁDIO (RADIOJORNALISMO) Utilizado para a produção de matérias para radiojornalismo e divulgação de notícias pela rádio-corredor.
TV (TELEJORNALISMO) Utilizado para produção de noticiários e programas diversos para TV.
FOTOGRAFIA (FOTOJORNALISMO) Utilizado para revelação de fotos e preparação de materiais fotográficos

Para suporte e apoio às atividades de ensino, a Instituição possui setor específico de Recursos Audiovisuais e Multimídia – com o objetivo de oferecer instrumentos de áudio, vídeo e computação dentro do ambiente de sala de aula para dinamizar e enriquecer a estrutura das atividades acadêmicas.

LABORATÓRIO DE TELEJORNALISMO

ESPAÇO FÍSICO: 54,32 M2

RESPONSÁVEIS 
COORDENADOR: PROF. WENDELL BRITO MINEIRO
TÉCNICOS: VALDIVAN FERREIRA VELOSO E PEDRO FERREIRA

OBJETIVO 
Ser ambiente para a prática de gravação e edição de peças de vídeo e envolver trabalhos das disciplinas Técnica de Entrevista e Pesquisa Jornalística, Postura e Dicção, Telejornalismo e, também, trabalhos interdisciplinares.

INFRA-ESTRUTURA 
Ilha de Edição
Estúdio

SERVIÇOS 
Produção de programas de TV:
Produzir vinhetas;
Produzir programas jornalísticos;
Editar digitalmente peças de vídeo;
Dar suporte às atividades audiovisuais do curso de Comunicação Social.

LABORATÓRIO DE RADIOJORNALISMO

ESPAÇO FÍSICO: 13,04 M2

RESPONSÁVEIS 
COORDENADOR: PROF. WENDELL BRITO MINEIRO
TÉCNICO:  VALDIVAN FERREIRA VELOSO E PEDRO FERREIRA

OBJETIVO 
Visa ao aprimoramento das práticas radiofônicas, proporcionando condições para que os acadêmicos aprendam a editar e veicular programas de caráter noticioso ou não, vinculado às disciplinas: Técnica de Entrevista e Pesquisa Jornalística, Postura e Dicção, Radiojornalismo e àquelas que exijam a produção de peças comunicacionais de rádio.

INFRA-ESTRUTURA
Computador e Ilha de Aúdio
Mesa de Aúdio
Estúdio

SERVIÇOS 
Produzir e veicular programas radiofônicos, por meio da Rádio Corredor;
Divulgar os trabalhos da disciplina de Radiojornalismo – e de outras matérias afins;
Ser espaço de aprendizado de operação de rádio do alunado do curso.

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDAÇÃO JORNALÍSTICA & PLANEJAMENTO GRÁFICO
ESPAÇO FÍSICO : 47,70 M2.

RESPONSÁVEIS 
DOCENTES: LUIZ CARLOS DE SOUZA NUNES E JOSIMAR TADEU SANTA ROSA
COORDENAÇÃO TÉCNICA: ALANO PEREIRA DAVID, HARLEY JONAS LOYOLA E RONEY FREDDY DE OLIVEIRA SANTOS

OBJETIVO
Dar suporte técnico para as aulas práticas de jornalismo e atividades de pesquisa via internet e ser um espaço no qual o acadêmico encontre condição e infra-estrutura adequadas para desenvolver as atividades de produção e pesquisa jornalísticas, além de propiciar a aquisição de conhecimento no campo da comunicação gráfica e editoração eletrônica. As disciplinas especificamente vinculadas ao laboratório são: Informática, Planejamento Gráfico, Jornalismo on Line, Fotografia. As demais disciplinas podem utilizar o laboratório conforme a demanda.

INFRA-ESTRUTURA
Microcomputadores
Computador servidor de arquivo
Computador servidor de Internet

SERVIÇOS 
Preparar e produzir textos noticiosos para impressos e Internet;
Preparar e produzir peças conforme as técnicas e normas de planejamento gráfico e visual;
Produzir peças comunicacionais utilizando os instrumento digitais de tratamento da imagem.

LABORATÓRIO DE FOTOGRAFIA (FOTOJORNALISMO)

ESPAÇO FÍSICO: 34,32 M2

RESPONSÁVEIS:
COORDENADORA: PROFA. LIDIANE DA SILVA SANTOS
TÉCNICO: VALDIVAN FERREIRA VELOSO

OBJETIVO
Oferecer aos acadêmicos a oportunidade de aprender a fotografar e trabalhar os recursos digitais para revelação/edição defotos, sendo suporte para as disciplinas do curso que utilizem recursos e instrumentos fotográficos.

SERVIÇOS
? Disponibilizar equipamentos para a aquisição de conhecimentos e práticas de Fotografia e Fotojornalismo.

Biblioteca Virtual

Biblioteca Virtual 

Consulta on-line

Acesso Externo (Fora do Campus) – Clique Aqui!

Acesso Interno (Dentro do Campus) – Clique Aqui!

Matriz

Clique a confira a Matriz Curricular.

Corpo Docente

Clique e confira o Corpo Docente

Atividades Extra-Curriculares

* Cinema Comentado

O que é: O Projeto Cinema Comentado Cineclube nasceu em agosto de 2003, com exibições e comentários de filmes realizados no auditório da Câmara de Vereadores de Montes Claros. As sessões se organizam em mostras temáticas abordando assuntos específicos, estilos e gêneros cinematográficos diversos e filmografia de diretores/atores. O objetivo do Cinema Comentado é criar uma identidade entre o cinema (arte, ritual, meio de comunicação de massa e manifestação cultural) e a sociedade.

Onde e quando acontece: As sessões acontecem no salão de convenções do Sesc, aos domingos, às 18h, e no auditório do Sesc, aos sábados, às 19h.

Envolvidos: O Cinema Comentado Cineclube desenvolve parceria com o curso de Comunicação Social-Jornalismo, como espaço para atividades complementares (AACC) e de extensão, estimulando desde a formação crítica dos acadêmicos nos debates e discussões até a participação dos estudantes em oficinas e workshops promovidos.

Público atendido: Acadêmicos de diversos cursos superiores da cidade – especialmente os estudantes da Funorte e Unimontes; cinéfilos e estudiosos de cinema; publico em geral. A entrada para as sessões é gratuita.

Período de desenvolvimento: janeiro a dezembro de cada ano.

Coordenador: O projeto é supervisionado pelo prof. Elpidio Rodrigues da Rocha Neto – coordenador do curso de Comunicação Social-Jornalismo e diretor administrativo do Cinema Comentado Cineclube.
* Rádio Corredor

O que é: A Rádio Corredor se estrutura como atividade acadêmica do curso de Jornalismo desde o ano de 2000.  Atualmente, a programação é composta por um radiojornal diário (Jornal Quinta Freqüência), que apresenta informação, música e entrevistas. São programas temáticos com duração total de 10 minutos. O Jornal Quinta Freqüência é disponibilizado em podcast no blog: www.quintafrequencia.blogspot.com.

Onde e quando acontece: A Rádio Corredor funciona nos intervalos das aulas, entre 20h40min e 20h50min, no Campus São Luiz – Rua Lírio Brant 787, bairro Melo. É veiculada em circuito fechado nos corredores e pátios da instituição.Envolvidos: Acadêmicos do 5º período, através da disciplina Radiojornalismo.

Público atendido: Estudantes, professores e funcionários do Campus São Luis – além do público atingido pela veiculação na internet.

Período de desenvolvimento: março a julho de cada ano.

Coordenador: prof. Wendell Brito Mineiro.

* Palestra 
Como aperfeiçoar sua comunicabilidade
Palestrante: Nicácio Pereira Período: 18 e 19 de Novembro 2010
Conteúdo Programático: Sua voz fala bem de você?
· Como planejar e ministrar palestras, treinamentos e apresentações de monografias;
· Como dominar o medo/ansiedade ao falar em público;
· Desenvolva sua comunicabilidade para conquistar e manter a atenção da sua audiência;
· Desenvolvimento da fluência e eficácia oral pelo Método POF – Penso-Ordeno-Falo;
· Tenha um comportamento técnico eficaz diante da sua audiência;
· Gestos e posturas eficazes.
· Use adequadamente os recursos audiovisuais.
· Como evitar os principais erros cometidos em apresentações. * Semana da Comunicação e Educação

O que é: A Semana da Comunicação e da Educação é um evento organizado e promovido pelos acadêmicos do curso de Comunicação Social – Jornalismo. Realizado desde 2002, o evento configura-se como uma oportunidade para os estudantes e profissionais discutirem os rumos da comunicação e da educação, além de informar aos futuros jornalistas e professores as particularidades e desafios de cada carreira.  As palestras, oficinas e discussões abordam diversos temas ligados a comunicação e a educação.
Quando acontece: Mês de outubro.
Envolvidos: Acadêmicos do curso de jornalismo e de educação.
Público atendido: O evento atinge acadêmicos de diversos cursos superiores – especialmente, jornalismo e publicidade – jornalistas, assessores de comunicação (de órgãos públicos, instituições e empresas), radialistas, publicitários e demais interessados.
Coordenação: O projeto é coordenado pelos docentes de Jornalismo e Coordenador do Curso Elpidio Rocha Neto.

Projeto Caminhos da Leitura
Período: Semestral
Coordenação: Lara Araújo
Programa:  O “Caminhos da Leitura”, inspirado no projeto “Literatura para Todos”, da Faculdade de Letras da UFMG em Belo Horizonte, foi trazido para Montes Claros por meio da parceria firmada entre a Funorte, a UFMG e a MCTrans. O objetivo é incentivar a leitura da literatura nacional, divulgar obras de artistas plásticos da nossa região e, consequentemente, incitar o desejo na população montes-clarense de produzir suas próprias obras. O projeto conta com a participação de acadêmicos dos cursos de Comunicação Social, Letras e Pedagogia da Funorte. Para mais informações acesse o blog do projeto –www.caminhosdaleitura-moc.blogspot.com

Programa de TV x da Questão
O que é:O X da Questão é um programa de TV voltado para o setor educacional. A proposta é abordar o ensino médio em Montes Claros , sob uma perspectiva positiva, apresentando os estudantes, professores e projetos educacionais desenvolvidos pelos colégios e escolas (particulares e públicas) da cidade.

Onde e quando acontece: O tempo total do programa é de 21 minutos, dividido em três blocos de 7min. Alguns quadros apresentados são: Manda Ver (apresentação artística de estudantes do colégio), Dica de Livro (indicação de leituras), Eu Protesto (os estudantes protestam contra problemas e dificuldades sociais), Qual É? (especialistas respondem questões sobre cursos e opções profissionais), Trocando Idéia (um grupo de estudantes discute e comenta um tema relevante do momento).O X da Questão é exibido toda sexta-feira, às 17h30min, pela TV Geraes (Canal 2) – com reprise aos sábados, às 17h.

Envolvidos: O programa é inteiramente produzido por uma equipe de acadêmicos, de diversos períodos do curso de Jornalismo.
Público atendido: Estudantes do ensino médio, professores, acadêmicos dos cursos de Comunicação Social e Licenciaturas em geral, gestores e administradores do setor educacional.
Período de desenvolvimento: agosto a janeiro de cada ano.
Coordenador: prof. Wendell Brito Mineiro.

* Campus Notícias

O que é: o Campus Notícias é um telejornal transmitido ao vivo e em circuito fechado de TV.

Onde e quando acontece: Ao final do semestre, no Campus São Luis – Rua Lírio Brant 787, bairro Melo.
Envolvidos: Acadêmicos do 6º período, através da disciplina Telejornalismo.
Público: Estudantes, professores e funcionários do Campus São Luis – além de convidados especiais e jornalistas. A veiculação na internet permite o acesso de um público mais amplo e interessado em jornalismo.
Período de desenvolvimento: Final de cada semestre.
Coordenador: prof. Wendell Brito Mineiro.

* Jornal Laboratório – Vide-verso

O que é : Criado em 2002, o Jornal Laboratório Vide Verso nasceu com o intuito de proporcionar ao estudante um espaço para o exercício da livre expressão e criatividade jornalísticas. Através deste laboratório, os acadêmicos passaram a participar das fases de elaboração de um jornal impresso, como definir e apurar pautas, redigir textos jornalísticos, editar, diagramar as edições, além de revisar e aplicar os conhecimentos de fotojornalismo. O Vide Verso é um instrumento de incentivo à autoria e à experimentação de novas linguagens preparando o acadêmico para a prática profissional, sem condicioná-lo às limitações ideológicas ou econômicas do mercado de trabalho. Outro objetivo é o exercício da multidisciplinaridade, promovendo a interação de todas as disciplinas do curso com a prática jornalística. Com caráter pedagógico, o Vide Verso desenvolve um olhar crítico e transformador sobre a sociedade e estimula a reflexão sobre a profissão, o papel da mídia e do comunicador.

Onde e quando acontece: Periodicamente são produzidas e impressas edições do Vide Verso.

Envolvidos: Acadêmicos de todos os períodos do curso de Jornalismo (inclusive, estudantes das Licenciaturas), sob a orientação do Conselho Editorial e dos professores.

Público atendido:Estudantes da FUNORTE e público em geral atingido pela distribuição gratuita dos exemplares.

Período de desenvolvimento: Final de semestre

Coordenadores: profes. Elpidio Rodrigues da Rocha Neto, Tiago Nunes Severino e Ângela Márcia da Silva Braga.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *