Durante programação das disciplinas Cozinha Brasileira; ministrada pelo coordenador do curso e docente, Jonas Sachetto; e Optativa I – Fotografia; ministrada pela docente Lidiane Silva; acadêmicos do 4º e do 5º período do curso de Gastronomia participaram de atividade interdisciplinar com o objetivo de produzir um livro de receitas.

No episódio, os acadêmicos do 4º período criaram cardápios com inspiração nos cadernos de receitas de seus familiares e o professor Jonas propôs um Festival de Cozinha Regional Norte Mineira, em que os alunos teriam que reproduzir os pratos. Após, os estudantes do 5º período, com orientação da professora Lidiane, fariam registros fotográficos dos pratos para criação de um livro de receitas.

Jonas explicou a proposta da aula e o objetivo do trabalho. “A minha proposta de aula vai percorrendo os estados do Brasil através da sua cultura culinária. Em Minas Gerais, temos uma aula que é feita pelo aluno, em que, ele vai atrás dos velhos cadernos das tias e avós e trazem um cardápio baseado no conceito de cozinha regional norte mineira. Através disso, eu e a professora Lidiane tivemos uma ideia de sincretizar duas atividades que existiam isoladas, mas que podem ser complementadas para, no fim, montarmos um livro de receitas com as fotografias e receitas dos alunos”, destacou o coordenador.

Outro objetivo da atividade é fazer com que o trabalho dos alunos sejam valorizados e divulgados fora da instituição. Segundo Lidiane, a ideia de montar o livro é interessante, pois incentiva os alunos a darem o seu melhor na produção dos pratos e nos registros fotográficos, além de levar a experiência para outras pessoas. “A intenção é fazer com que os estudantes do 5º período entendam como é o processo de fotografia na área de Gastronomia; que envolve a questão de luz, composição e que haja uma experiência gastronômica através das imagens. É, também, o início de um processo em que associamos duas disciplinas, então enriquece muito, pois, o trabalho dos alunos do 4º período é valorizado, principalmente por ser uma produção de uma culinária local; e por ser divulgado fora da instituição, pois a revista tem o objetivo de extrapolar e permitir que outras pessoas conheçam o produto deles e que não seja algo que aconteça e fique somente entre os alunos”, frisou a docente.

Edvard Muniz Cordeiro Júnior, acadêmico do 4º período do curso, falou sobre os pratos montados pela sua Praça e destacou que o livro possibilita que eles mostrem um pouco da cultura de suas casas. “O prato que escolhemos é algo que representa as avós da atualidade. Fizemos um pavê de bolacha champagne com calda de abacaxi com coco, que é um prato bem tradicional no domingo. Escolhemos o casadinho de goiabada como quitanda por ser o preferido da maioria da Praça e, o segundo prato, é o que representa as noites frias da região; nele temos o engrossado de costela, feito com fubá e abóbora; que é um prato que sustenta mais e indicado para dias frios. O interessante do Festival é podermos mostrar um pouco da cultura de nossas casas, pois, o geral da cultura regional todos nós conhecemos, mas o que cada um tem para mostrar de dentro da família é o mais importante porque nos faz vivenciar a infância e um pouco do costume de cada um. E poder materializar isto é de extrema importância e valoriza muito os pratos que fizemos”, concluiu o estudante.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *