A clínica escola além dos atendimentos diretamente com os pacientes, o acadêmico tem a oportunidade de fazer a discussão de caso, que é o momento de tirar dúvidas.

Acidente Vascular Encefálico (AVE) é o caso clínico que foi apresentado no estágio do sétimo período de Motricidade Orofacial, uma área do curso que estuda a musculatura dos lábios, língua, bochechas, face e as funções a elas relacionadas, como a respiração sucção, mastigação, deglutição e fala. A docente e também supervisora de estágio, Maria Gisele Freire, acompanha os acadêmicos no estudo.

“O estudo e a classificação de caso é feito de acordo com o paciente, os acadêmicos fazem os estudos juntos comigo no consultório da clínica e depois aplicam o tratamento no paciente”, diz a supervisora que completa: ”Auxiliamos no tratamento que será adaptado de acordo com as necessidades e limitações do paciente”, conclui.

Os acadêmicos Anne Cristine Braga e Daniel da Silva apresentaram para os colegas o caso clínico de Dona Terezinha, paciente que sofreu um acidente vascular encefálico há 4 anos e faz acompanhamento na clínica há  exatamente  um ano.

“Estudamos a pasta do paciente, fazemos uma reavaliação do último atendimento, a anaminese (entrevista) com o paciente é muito importante porque ajuda a identificar a necessidade”, diz a acadêmica Anne Cristine.

Terezinha Guimarães era professora de Inglês quando sofreu um acidente vascular encefálico. Segundo a paciente, o que acarretou diretamente na saúde foi à ansiedade, o stress e o acúmulo de trabalho.

“Eu trabalhava muito e ainda levava o trabalho para casa, isso me causava muita ansiedade, queria fazer tudo ao mesmo tempo ou o mais rápido possível, infelizmente o organismo não agüentou, foi quando tive o acidente vascular”, diz Terezinha com dificuldades na fala. Ela ainda diz que: “O lado esquerdo do meu corpo paralisou e afetou minha fala, mas isso não me impede de lutar, a clínica tem sido de grande apoio”, afirma a paciente.

Durante a apresentação do caso, os acadêmicos citaram que existem dois tipos de Acidente Vascular Encefálico. O hemorrágico, caracterizado pelo rompimento de um vaso sanguíneo que resulta no derramamento de sangue no cérebro e o isquêmico, que se caracteriza pela interrupção da circulação de sangue em determinada área do cérebro.

Segundo a supervisora, um acidente vascular encefálico pode deixar sequelas como perda de controle motor, fraqueza de um lado de corpo, perda da memória recente ou problemas de comunicação.

“Essas sequelas podem ser permanentes ou temporárias desde que ocorra um tratamento adequado”, afirma Maria Gisele.

Os principais fatores de risco são: tabagismo, altas taxas de colesterol e triglicérides, sedentarismo e doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial e arritmias cardíacas.

Gabriele Santos

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *