Nesta quinta-feira, 11 de abril, o curso de Direito promoveu a I edição da Feira de Empreendedorismo Jurídico e Social, com a iniciativa da disciplina Economia Jurídica, ministrada pelo professor Marcus Caldeira. A Feira contou com a participação dos acadêmicos do 3° período noturno e matutino que apresentaram ideias de produtos e serviços inovadores do campo jurídico e de impacto social.

Desenvolver aos acadêmicos o espírito empreendedor, com a visão humanitária a respeito dos problemas sociais afim de gerar soluções e impacto social, foi a principal proposta do trabalho conforme explica Marcus. “A feira tem como objetivo avaliar o conhecimento, a aprendizagem dos alunos, em relação aos conceitos da disciplina e também incentivar os estudantes a enxergar na sua carreira profissional do direito oportunidades para empreender, criar negócios, produtos, serviços, inovação e, principalmente, atender demandas da nossa sociedade que o campo jurídico possa resolver”.

Além disso, o docente ainda explanou sobre uma das missões do trabalho desenvolvido pelos acadêmicos. “Quando falamos em impacto social, a nossa finalidade é enxergar os problemas das comunidades, principalmente das comunidades da base da pirâmide, comunidades carentes, de vulnerabilidade social, com limitações de recursos, onde normalmente possui diversos problemas sociais e o advogado com esse perfil e com a visão de empreendedor pode gerar soluções transformando isso em negócios lucrativos”, pontua.

De acordo com a diretora do Campus São Norberto, Sueli dos Reis, é importante que a acadêmico teste a sua capacidade de criar, inovar e empreender. “A aproximação com a realidade econômica e social, mostra ao acadêmico que ele pode contribuir para transformar sociedade utilizando a tecnologia e trazendo impacto é  importante, são os nossos objetivos com este trabalho desenvolvido pelo docente Marcus Caldeira”, destaca.

O professor Eubert Andrade, foi um dos avaliadores do projeto e descreveu que a Feira foi uma exemplar iniciativa do organizador, Marcus Caldeira. “A metodologia voltada para o incentivo de novas ideias e propostas no campo do empreendedorismo jurídico revela a preocupação com a contribuição social que pretende realizar, assim como desenvolve no acadêmico ações voltadas para sua inserção no âmbito profissional”, analisa.

Segundo o acadêmico do 3° período, Lucas Varjão, é pertinente o trabalho da Funorte em levar os seus graduandos a terem uma visão global sobre o empreendedorismo. “Em conformidade com o mundo contemporâneo, a área do Direito, abrange todos os segmentos da sociedade. Ao que se refere ao empreendedorismo, o direito é presente desde a etapa inicial de planejamento burocrático, até a etapa funcional do empreendimento”, salienta.

Avaliação dos Projetos (Premiação)

Os critérios utilizados pelos avaliadores Sueli dos Reis e Eubert Andrade, embasaram-se na verificação do grau de inovação do projeto, a relação dele com a comunidade, sua modelação de mercado, assim como a postura profissional e apresentação geral da equipe idealizadora.

Desse modo, duas das seis equipes do turno Matutino foram premiadas como destaques entre o 1° e 2° lugar. A Equipe Freedom composta por: Larissa Mendes Alves; Lucas Rafael Barbosa dos Reis; Marta Nayara Dias Silveira; Monik Meireles de Andrade; Natália Danielly Fernandes Jorge ficou em primeiro lugar.

O Freedom é um aplicativo que visa dar suporte para as mulheres vitimas de violência. Possui como cliente final as clínicas psiquiátricas e clínicas médicas especialistas no cuidado com as mulheres.

A acadêmica Marta Nayara, uma das integrantes da equipe vencedora, Freedom, descreveu sua satisfação quanto a proposição da Funorte com a Feira de Empreendedorismo. “A proposta apresentada pelo professor Marcus é extremamente inovadora, uma vez que, nos instigou a buscar algo novo para o Direito em consonância com o impacto social. Além dos mais, nos instigou a aprofundar nossos conhecimentos na área do empreendedorismo para nos preparar futuramente no mercado de trabalho”, concluiu.

 O 2° lugar ficou a equipe Erga Omnes, composta por: Filipe de Castro Aguiar Veloso; Maria Eduarda Souza Freitas; Maria Clara Gonçalves de Oliva Santos; Nathália Silva Carvalho; Thiago Rafael Ribeiro Soares.

O Erga Omnes é um projeto que visa atingir comunidades periféricas da cidade de Montes Claros, visto que é notório, através de diversos levantamentos de dados. Uma de suas propostas é proporcionar o acesso ao conhecimento básico jurídico através de um site criado pela equipe, onde o cliente terá acesso a outros meios como a ouvidoria virtual. 

Ao longo da semana outras turmas apresentarão os seus projetos e irão concorrer à premiação. Datas previstas: 15 de abril no turno matutino e no dia 14 de abril no turno noturno.

Texto e Fotos: Marco Freitas

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *