Especialista ensina o que precisa ser observado e quais os riscos em consumir carne estragada

Na última semana, foi noticiado em todo o país o escândalo da Operação Carne Fraca, que investiga dezenas de empresas do setor alimentício suspeitas de comercializar produtos sem a devida fiscalização sanitária. Os indícios apontaram varias irregularidades na produção dos alimentos.

O Brasil é o maior exportador de carnes do mundo e tem acordos para distribuição com a União Europeia e EUA. Mas com a Operação deflagrada pela Polícia Federal na última sexta-feira, o Serviço de Inspeção de Alimentos do EUA já acionou o Ministério da Agricultura solicitando uma retratação. Também existe uma grande expectativa sobre os efeitos negativos que essa denúncia possa causar no mercado e, consequentemente, na economia brasileira.

Para a coordenadora do Curso de Nutrição da Faculdade de Saúde Ibituruna – Fasi Ilana Gonçalves, os profissionais da área da saúde, como todos os demais brasileiros foram surpreendidos negativamente com as denúncias da Operação. Principalmente se for levado em consideração que a carne é um alimento de extrema importância para a alimentação, sendo fonte de proteína e ferro. A especialista ensina a seguir, a identificar e escolher uma carne para consumo.

Quais as consequências para a saúde quando consumimos carne vencida ou possivelmente estragada?

Mesmo que ainda não tenham sido identificadas as substâncias que podem ser prováveis agentes cancerígenos, o consumo de carne estragada, de uma maneira geral, pode levar a contaminações e ao processo de toxinfecção alimentar que resultam em desconfortos como diarreia e vômitos.

Como saber se a carne está adequada para o consumo?

Algumas medidas de precaução que podem ser adotadas nessa análise:

Verificar o histórico do seu fornecedor; olhar a coloração da carne, necessitando a mesma estar com um vermelho “vivo” e não com cor a escurecida; analisar se estar com o cheiro natural e fresco; examinar a sua textura e viscosidade para não estar com o aspecto de gel, dessa forma podendo ter a presença de bactérias.

Além disso, é fundamental observar se o local onde foi comprada a carne adota cuidados sanitários, entre eles: funcionários com roupas limpas, cabelos presos e higienização dos equipamentos. Procurar por alimentos que estejam com o carimbo e advertência do Ministério da Agricultura.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *