O país do jeitinho

Simplesmente patético o vídeo que “viralizou” nas redes sociais mostrando um oficial da PM do Espírito Santo pedindo permissão a um grupo de mulheres que obstruíam o portão de saída da guarnição, “impedindo-os ”de ir cumprir seu dever constitucional!

Conseguiram assim um “jeitinho” de justificar sua paralisação, prevista como crime em lei, cruzando os braços e deixando as ruas daquele estado à mercê da bandidagem, dos furtos, sequestros, saques e assassinatos…

No andar de cima, em Brasília, nosso Presidente deu um jeito de beneficiar o seu assessor e amigo Moreira Franco com foro privilegiado, nomeando-o ministro do seu governo, livrando-o assim das garras felinas do Dr. Sergio Moro.

Lá mesmo, para espanto e incredulidade de muitos, Temer “bancou” seu pupilo, o Sr. Alexandre Moraes para a vaga cobiçada de ministro do STF filiado ao PSDB, partido cujos caciques estão na mira da Lava Jato e, portanto, alvos de investigação futura daquele órgão…

No Senado, mudam-se as cabeças e os nomes, mas tudo continua “dominado” pelos mesmos clãs antiquados e conservadores de sempre, dos Sarney’s, dos Barbalho’s, dos Renan’s, dos Collor’sda vida, e tudo isto com apoio de petistas que até ontem estavam acusando-os de “golpistas” por terem derrubado a Dilma…

Na verdade, acidentes como o do Viaduto Guararapes poderiam ser evitados, não fosse a falta de ferragem prevista em projeto na armação do concreto armado de seus pilares…

Tragédias como as do avião da Chapecoense não ocorreriam, se o seu plano de voo não fosse alterado, a fim de “dar um chapéu” nas normas aéreas e economizar um pouco de combustível…

Em Curitiba, o Sr. Eduardo Cunha está aproveitando de um suposto aneurisma para se livrar das grades, como se uma doença incipiente e até uma cirurgia de emergência impedisse alguém de cumprir pena ou ver o sol nascer quadrado…

Aqui em plagas norte mineiras como pode um prefeito recém-eleito deixar de pagar em Janeiro o salário de dezembro dos servidores municipais, alegando ser este um compromisso do seu antecessor…? Qualquer iniciado em Administração sabe que ao assumir-se um cargo de comando, público ou privado, além da notoriedade herdamos também seus passivos!

Por outro lado, nas nossas péssimas, esburacadas e mal sinalizadas rodovias que cruzam o nosso Estado apesar dos altos impostos que pagamos o que não falta são “pardais”, camuflados e escondidos atrás de árvores e curvas, tornando nossas viagens tensas, caso não queiramos receber posteriormente um belo punhado de exorbitantes multas de trânsito… Fica claro que a preocupação é arrecadar e não conscientizar o motorista ou aumentar a segurança dos usuários!

Aqui prá nós, porque será que este novo surto de febre amarela teve início no Espírito Santo e Leste de Minas Gerais?

Será que a falta de sapos e outros desequilíbrios ecológicos provocados pelo desastre da Samarco em Mariana, derramando rejeito até o mar via o Rio Doce não tem nada a ver com isto?

A propósito, quem já foi condenado, punido e preso pela maior tragédia ambiental do País?

Aqui no Brasil o certo é o errado e vice-versa…

Aqui onde há investimento maciço, onde há progresso, onde há obras, logo o povo se ressente das consequências nefastas da corrupção que logo corrói todos os recursos e supostos benefícios implantados.

Gastamos uma fortuna no Rio de Janeiro na Copa e Olimpíadas para orgulho e esperança dos brazucas e o resultado meses depois foi a completa falência dos serviços prestados à população, crise financeira, salários atrasados, calamidade pública, hospitais à mingua…

O País do “rouba, mas faz”, da “Lei de Gerson”, do “é dando que se recebe”, da “malandragem”, da “carteirada”, da “propina” infelizmente continua nos surpreendendo negativamente a cada dia, com novos escândalos, novas maracutaias, novas delações premiadas…

Até onde vamos parar?

Leila Silveira | Psicóloga, Coordenadora do curso de Psicologia Funorte e Diretora da TransformaSH Ltda
Délcio Fortes | Engenheiro, Professor universitário e  Consultor/sócio da TransformaSH Ltda

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *