Técnica utilizada no 10º período no estágio de Fisioterapia Funorte, o tratamento é a Terapia Auricular um método chinês que atua diretamente no local da dor. De acordo com a supervisora de estágio Daylane Alkmim, nesta etapa, o curso de Fisioterapia trabalha juntamente com a Psicologia, com pacientes multidisciplinares. O objetivo dessa interação é entender a dor não só como fato físico, mas também como fator emocional.
“Existem vários fatores que podem ocasionar a dor física e podem estar ligados diretamente a problemas emocionais como psicológico, stress, ansiedade ou outro quadro psicológico. A fisioterapia vai atuar no fator físico, já a psicologia vai trabalhar o emocional, os resultados dos pacientes são bem mais satisfatórios”, enfatiza a supervisora.
Para Daylane Alkimim, o uso das técnicas da medicina chinesa tem favorecido ainda mais nesses resultados positivos. “A terapia auricular é uma das técnicas que utilizam de sementes de mostarda em pontos estratégicos que são interligados da orelha do indivíduo ao corpo que refletem a condição do corpo humano e atua no local da dor”, diz.

Experiências

“Trabalho como vendedora há mais de cinco anos. É um trabalho muito estressante, por isso, comecei a ter uma dor no ombro que desce para o braço, (essa dor pode estar ligada ao meu stress diário). Estou começando hoje esse tratamento e fui encaminhada de outro profissional. Pra mim é uma novidade e o melhor é que não dói nada”, diz Mônica Karine Bezerra.
“Comecei esse semestre aqui no estágio, fizemos a avaliação da paciente para depois aplicar o método de acupuntura, vou acompanhá-la durante um mês duas vezes por semana, depois será feita outra avaliação para saber se damos continuidade ou se começamos outro tratamento com a paciente tudo vai depender do resultado”, diz acadêmica Thais Silveira.
Segundo a supervisora Daylane Alkimim, o tratamento auricular com sementes não é indolor, além disso, na clínica escola os fisioterapeutas, utilizam de outras técnicas, vai depender da avaliação feita com o paciente.

Gabriele Santos

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *