Em 9 de setembro é comemorado o Dia Nacional do Veterinário, profissão que é responsável pelo cuidado aos animais. Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária, dentre os diversos campos de atuação estão atividades ligadas à produção dos alimentos de origem animal que chegam à mesa do consumidor; trabalhar como consultores, responsáveis técnicos, docentes e peritos criminais, judiciais e administrativos; realizam pesquisas em alimentos; participam da produção de vacinas e de medicamentos de uso animal; entre outros.

Coordenador do curso de Medicina Veterinária da Funorte, Raul Dornas é formado há seis anos pela Universidade Federal de Viçosa. Raul conta que sempre foi criado com cães e, desde pequeno, já tinha certeza que seria veterinário. “Eu sempre tive contato com cães, meu pai sempre foi um criador de cachorros e, devido essa criação, já sabia que minha profissão seria veterinário”, relembra Raul. Em contra partida, a professora e médica veterinária, Letícia Athayde foi criada em área rural com animas de grande porte, mas, se especializou em pequenos animais. “Meu pai sempre me criou com cavalos e bovinos e eu escolhi me especializar com animais de pequeno porte. Eu sabia que tinha vocação para lidar com animais e desde criança sempre gostei muito”, explica Letícia.

O amor pela profissão é demonstrado no olhar do médico veterinário Raul. Seu olhar brilha ao falar sobre o sentimento de cuidar de um cachorro. “Hoje fizemos aqui no hospital um procedimento cirúrgico com um cão que está com suspeita de insuficiência renal. A sensação de conseguir reverter um quadro desfavorável é muito prazeroso e interessante. Ver o animal sair do hospital bem, com saúde restaurada e o proprietário feliz é muito bom. Nós vemos a gratidão dos animais e dos seus proprietários”, conta.

Raul e Letícia já estiveram no lugar dos alunos e agora ministram aula. Ambos definem a oportunidade de ensinar como prazerosa. “Eu sinto um orgulho muito grande quando o proprietário elogia um aluno que atendeu o animal, quando vejo que o acadêmico está bem profissionalmente e que tem conhecimento. É uma satisfação muito grande”, afirma Letícia. “Hoje, na condição de professores, ao percebemos que alguns alunos se espelham em nós, buscam seguir nossas orientações é recompensador. Cada aluno que se forma leva um pouco de nós. Poder fazer parte da formação de uma pessoa é algo fantástico”, complementa o coordenador.

Para os acadêmicos de Medicina Veterinária e para quem deseja cursar esta graduação, a dica de Raul e Letícia é a mesma, ter contato com a profissão e experimentar todas as áreas. “Ter mais contato prático com a área e fazer diversos estágios é fundamental. Experimentar todos os meios é muito importante, nós temos uma gama de campos de atuação, temos que conhecer um pouco de tudo”, aconselha os professores.

Sobre o Dia Nacional do Veterinário, Raul Dornas ressalta a importância da comemoração. “É um dia específico para retribuir o que fazemos aos animais e pessoas, além disso, mantém acesa a paixão pela profissão”, diz.

Raul se emociona ao tentar resumir o significado de ser médico veterinário. “Quem trabalha com a parte cirúrgica é um sentimento diferente, a profissão para nós, tem outra visão. A minha profissão se resume em dar uma condição de vida melhor ao animal. Fazê-lo sair do hospital feliz e curado resume o que é ser veterinário para mim, ou seja, salvar vidas”, finaliza emocionado

Mariana Correia

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *