O colégio Indyu realizou na manhã desta quinta-feira, 29, a abertura de encontros para orientação profissional dos alunos do 3° ano do ensino médio. Este projeto é organizado pela Faculdade de Saúde Ibituruna – FASI em parceria desenvolvida com o Indyu há dois anos.

A palestra ministrada pelos acadêmicos do 10° período do curso de Psicologia tem o objetivo de orientar os alunos em suas decisões em relação às profissões e seu futuro. “Hoje foi trabalhado o que é a orientação profissional, o porquê ela é importante para o jovem, principalmente, na fase em que o estudante está saindo do colégio, prestes a ingressar na carreira acadêmica. A ansiedade, frustração, angústias, indecisão, são muito comuns na hora de escolher o que queremos para o nosso futuro”, afirma a professora Tatianna de Sant’Ana, psicopedagoga e coordenadora de estágios da Clínica Escola Fasi, que ainda pondera: “Considerando que escolher uma profissão não é um assunto fácil de ser decidido, nós trabalhamos sempre com uma palestra inaugural todo semestre e os alunos são convidados a participar do nosso programa de seis encontros”.

O programa irá trabalhar com um grupo de doze alunos. Serão cerca de seis encontros, uma vez por semana, com a turma do terceiro ano, onde serão aplicadas entrevistas individuais, debates, reflexões em grupo, dinâmicas e outros minicursos. O primeiro encontro será no dia 07 de outubro, no colégio Indyu.

Para Amanda Dantas, 22 anos, acadêmica do curso de Psicologia Fasi, o projeto é importante tanto para o acadêmico quanto para os alunos. “A orientação profissional não precisa ser necessariamente no ensino médio, pode ser durante a profissão, assim como um aposentado pode passar por um processo de orientação vocacional com a intenção de saber quais serão suas escolhas e as possibilidades que ele possui”.

“Muitas vezes a escola não abre esse espaço para o aluno ter a oportunidade de saber qual decisão tomar daqui pra frente, sendo assim, com esta parceria da Soebras, o projeto auxiliará os alunos com a orientação. Entrar em contato com o universo profissional, ou seja, conhecer as profissões ativamente e suas atuações no mercado. Fazemos essa ponte, para que os estudantes possam se autoconhecerem e propiciamos ao aluno o acesso a escolha profissional propriamente dita”, finaliza Tatianna.

Victor Araujo

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *