A abertura da festa foi feita pelas turmas dos 6º ano, com coreografia moderna e sintonizada

Na noite do dia 14 de junho, alunos, professores, coordenadores e familiares se reuniram para festejar o São João ao som de músicas juninas, comidas típicas e decoração temática. Durante a festa os alunos do Ensino Fundamental (7º, 8º e 9º ano) e do Ensino Médio apresentaram coreografias ao público que foram avaliadas pelos seguintes critérios: coreografia, harmonia, figurino, originalidade e criatividade, animação e disciplina.

Para a diretora Karina Fagundes, o objetivo era muito mais que avaliá-los, a celebração do momento e a felicidade de preservar a comemoração entre alunos e pais, são quesitos com o mesmo peso para a coordenação da instituição:

“O festival de quadrilha do Indyu já faz parte do calendário festivo da instituiçãotendo três décadas de existência. Com ela, mantemos vivas as tradições, a cultura e costumes dos nossos povos. Essa festa tem dedicação intensa de professores, coordenadores e estudantes que estão há mais de um mês se preparando para ela.”

Cada equipeabordou um tema e suas respectivas características como músicas, passos e figurinos.Os sétimos anostrouxeram os“Quadrinhos”, os oitavos “Circo do Sertão” vencendo a competição pela originalidade, disciplina e o envolvimento de todos durante a execução.Já as turmas do nono ano abordaram o “Arraiá dos Capiá no Circo Maluco Tudo junto no show das Curica”,enquanto os alunos do 1º ano apresentaram o “Arraiá do Primeirão”e ossegundos anos trouxeram a arte do sertão com os temas“Seca, Fé e Festa” – apresentação da turma 17, e“Amor Sertanejo”, uma demonstração de originalidade e criatividade mostrada pela turma 16, vencedora da competição.

As equipes que fecharam a noite foram as dos terceiros anos que mostraram o “Cordel Norte Mineiro”com suas particularidades, características e tradições na dança e na popularidade brasileira.

Para a aluna Isabela Moura Agapito Valadares, do segundo ano 16, a expectativa antes mesmo da festa começar já era grande. Segundo ela, a importância não era só vencer a competição, mas também celebrar essa data junto com os colegas:

“Acho importante a escola colocar essas atividades recreativas fora da grade curricular, principalmente nessas datas que fazem parte da cultura brasileira.  Nós trouxemos inclusive características do que estudamos em sala de aula sobre o nordeste, tão rico em suas tradições”.

Já a mãe do Ellan Adriano Lopes Ferreira do 7º ano 4, Geusa Lopes Ferreira reforçou o que a diretora Karina enfatizou sobre os principais objetivos de manter acesa a comemoração dessa data e o empenho de todas para a realização dela: “Foi bem organizada a quadrilha e a minha emoção foi bem grande ao ver meu filho dançar. Espero que a escola continue preservando essa tradição entre os alunos”.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *