Acadêmicos do 4° período de Fisioterapia Funorte participaram nesta quarta-feira, 14, de intervenção com crianças do maternal, 1° e 2° períodos do Colégio Ímpar.  O projeto faz parte do Pisec, que é uma disciplina que desenvolve atividades de extensão fora da instituição. As disciplinas do Pisec são I, II, II, IV e V (do 1° ao 5° período).

As atividades são coordenadas pela professora Lígia Maria. Ela explica que no Pisec IV, que os alunos fazem parte, são trabalhados a saúde da criança e do adolescente. “No Ímpar trabalhamos observando a psicomotricidade, que é a observação do desenvolvimento motor da criança, trabalhamos o equilíbrio, coordenação motora, motricidade fina e grossa, orientação temporal e espacial”, diz Ligia que explica: “a turma foi dividida em grupos e a cada semana, eles trabalham alguns destes aspectos. Todos os materiais e recursos utilizados são confeccionados pelos próprios acadêmicos. Antes de iniciarem a prática, eles aprendem a teoria em sala de aula com os temas que serão desenvolvidos no Pisec. Eles apresentam um cronograma das atividades que irão desenvolver, os materiais que irão utilizar e apresentam a parte teórica”.

A professora ainda diz que os acadêmicos já chegam na escola com a capacidade para atuarem com as crianças. “Essa interação é de extrema importância porque oportuniza aos acadêmicos trazerem a teoria do Pisec visto em sala de aula para a observação e atuação da prática, já que eles conseguem perceber algumas possíveis deficiências das crianças em relação a desenvolvimento, coordenação motora, equilíbrio, etc”, afirma Lígia que ainda ressalta: “Os acadêmicos não interferem, eles fazem um relatório sobre o que foi observado com as crianças e eu faço as intervenções necessárias”.

Júlia Monteiro, acadêmica do 4° período Fisioterapia, explica que a intervenção no colégio Ímpar é muito importante para os alunos porque eles conseguem avaliar o desenvolvimento das crianças tanto psíquico quanto social, motor, psicológico e funcional. “Através das brincadeiras que organizamos conseguimos perceber o desenvolvimento dos alunos de acordo com a idade mental e cronológica de cada um”, fala.

Para o acadêmico Maxuel Oliveira dos Santos, o objetivo da atividade é incentivar as brincadeiras e tentar perceber a motricidade e a capacidade de cada criança. Segundo eles, isso contribui significativamente para sua formação, tendo em vista que propicia uma visão ampla das crianças ao ser trabalhado a pediatria.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *