As mulheres impulsionaram uma luta pelos seus direitos civis, políticos e sociais e, muitos deles, foram conquistados a partir destas batalhas. Porém, ainda há uma série de debates e lutas para que possam ter igualdade de direitos em relação aos homens.

A coordenadora da Comissão OAB Mulher da 11ª Subseção da OAB/MG de Montes Claros, Heidy Cristina Boaventura Siqueira, aborda algumas das principais conquistas das mulheres na sociedade. “A incansável luta das mulheres tem conquistado direitos em todas as searas, desde a estabilidade da empregada gestante a partir da confirmação da gravidez, inclusive no caso do contrato de experiência ou determinado; licença-maternidade da empregada gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, até as cotas para mulheres em casas legislativas”, cita.

A área profissional é uma das maiores representações de desigualdade. Heidy ressalta que a sociedade ainda atribui à mulher uma figura de cuidadora do lar. “A sociedade ainda imputa à mulher um papel que acaba restringindo suas escolhas profissionais. Muitas mulheres escolhem carreiras em que podem conciliar trabalho com as tarefas de casa, mãe e esposa. Outras renunciam à sua carreira para priorizar a ascensão do marido. Não se pode negar que ainda existe o machismo, que estreita o caminho das mulheres à ascensão profissional”, aborda.

Estas informações foram confirmadas em uma pesquisa global sobre feminismo, realizada em 24 países no início de 2017 e divulgada pela Ipsos, em que afirma que 26% das mulheres têm medo de defender seus direitos pela igualdade de gênero e 18% da população acredita que as mesmas são inferiores aos homens.

Apesar deste resultado, Heidy analisa que muitas profissionais não temem a busca pelos seus direitos. Ela se referencia no crescimento do gênero nos tribunais. “A ascensão das mulheres nos tribunais representa uma quebra de paradigmas, uma queda de barreiras de gênero no interior das instituições, além de sinalizar para uma desconstrução do paradoxo de igualdade existente entre o discurso e a prática”. Finaliza

Greiciely Rodrigues

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *