Durante a Siap 2017, foi realizado o minicurso ministrado pela docente do Curso de Estética e Cosmética, Mariela Evangelista, sobre Peeling no Tratamento da Melasma e Cloasma, identificada como uma manifestação de manchas escuras na face. A doença aparece principalmente nas mulheres, mas também pode acometer os homens. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o surgimento do melasma.

Mariela ressaltou durante a aula a importância do uso de protetor solar e os cuidados com a pele, além de explicar sobre os diversos produtos usados no tratamento, e como o produto errado pode causar danos a pele.

“É fundamental o uso de protetores solares potentes sempre que houver exposição da pele ao sol ou mormaço. O tratamento é feito com o uso de substâncias despigmentantes, aplicadas na pele. A associação dos despigmentantes com alguns tipos de ácidos geralmente aumenta a eficácia. Quando o pigmento se localiza mais profundamente, a melhora é mais difícil, exigindo persistência para se obter um bom resultado”, ressalta Mariela durante o minicurso.

Natalia Bernadete Fernandes é advogada e participou do minicurso como modelo, ela já esta na terceira seção no tratamento da melasma. “As marcas na pele já estão em processo de desaparecimento, já fiz o peeling de diamante, agora no minicurso foi à segunda aplicação do peeling de Jessner, estou muito satisfeita com os resultados”, diz Natalia.

De acordo com a docente, os peelings superficiais podem acelerar o processo facilitando a penetração dos despigmentantes e ajudando a remover o pigmento das camadas superiores da pele. O tratamento deve ser orientado pelo médico dermatologista, de acordo com cada caso.

 

Gabriele Santos

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *