A cada semestre, o curso de Psicologia escolhe temas para debater entre os alunos. Essa é uma prática do Estágio Básico II que objetiva desenvolver rodas de conversa para discutir sobre assuntos tabus na sociedade. No ultimo semestre o tema escolhido foi o suicídio. Desta vez, os acadêmicos do 6° período de Psicologia Integral da Fasi escolheram “A Sexualidade de Mulheres” para homenagear o mês da mulher.

A psicóloga Suely Maciel apresentou temáticas para os acadêmicos como a sexualidade de mulheres, que ainda é vista como um tabu. Juntamente com a psicóloga a professora, supervisora do estágio Ângela Fernanda, elas abordaram diversos viés que contextualizam este assunto.

A supervisora explica o porquê dessa roda de conversa e qual a finalidade. “O tema foi escolhido pelos acadêmicos em homenagem ao mês das mulheres. Outras temáticas serão abordadas ao longo do semestre. Essa atividade é interessante porque além de esclarecer e tirar dúvidas sobre do tema, são tidos também como uma preparação para os alunos que escolheram essa profissão e vão contribuir com isso no futuro”, diz Ângela.

Para o aluno André Mendes Lafetá, a escolha das professoras para discutirem o tema foi excelente. “As duas são muito capacitadas para falar sobre o assunto escolhido, pois faço parte do grupo que escolheu o tema, já que era uma atividade do nosso estágio”. O acadêmico completa ainda dizendo que: “Essas informações são importantes e esclarecedoras e mais pessoas deveriam participar de debates assim, pois são extremamente enriquecedores”.

Segundo coordenador geral da Clínica Escola de Psicologia Ted Nobre: “Os Cursos de Psicologia FASI e FUNORTE tem por objetivo formar profissionais capacitados para atuar no mercado de trabalho, assim como fomentar o conhecimento da Psicologia e da sua atuação como ciência”. O coordenador completa ainda que para garantir a capacitação dos acadêmicos, existe o espaço Clinica Escola de Psicologia Amazonas, que atente aos dois cursos de Psicologia da Soebras (Fasi e Funorte), em que os alunos são supervisionados e preparados para lidar com os aspectos psicológicos.

“Ainda nos deparamos com preconceitos e senso comum que denigrem a imagem da Psicologia como ciência, porém, cada vez mais temos a certeza que isso se deve à falta de conhecimento dos benefícios da ajuda profissional, a conscientização acontece paralelamente nas escolas, nas ações de saúde e na mídia”.

Prof. Ted Nobre Evangelista

Coordenador da Clínica Escola de Psicologia Amazonas

Gabriele Santos

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *