Nesta segunda-feira, 25 de fevereiro, acadêmicos do 6º período do curso de Direito participaram de apresentação sobre Ética e Estatuto. A atividade, que aconteceu na sede da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, faz parte da programação do TDES da disciplina Ética e Estatuto da OAB, ministrada pela professora Maria Fernanda.

Segundo a docente, “foi apresentado para os alunos a proposição de se organizarem e se apresentarem acerca da estrutura da Ordem dos Advogados do Brasil, cada um dos seus órgãos, conselho federal, conselho seccional, subseções, caixa de assistência dos advogados, além de apresentar e compreender a ação desses órgãos na defesa das prerrogativas dos advogados”, frisou.

Maria Fernanda contou que a atividade foi enriquecedora, uma experiência única para os alunos e para os professores. Ela afirma que a instituição pode proporcionar essa conciliação entre academia e a Ordem dos Advogados do Brasil, para assim, favorecer e preparar o acadêmico futuramente.

“Inicialmente, a Ordem dos Advogados Brasileiros (tema abordado) foi criado no intuito de preparar futuros juristas que guiarão o caminho do país, logo, mister se faz a incidência  deste tema para nós, futuros operados do direito, e possivelmente integrantes do quadro de advogados”, afirma Luís Bicalho, acadêmico do 6° período matutino.

Luís ainda contou sobre a importância do saber no que diz respeito à figura do advogado. “A figura do advogado é banalizada por uns e endeusada por outros, mas isto, visto de uma maneira leiga; tratando-se de operadores do direito é de suma importância, diga-se de passagem, para a formação de qualquer acadêmico em Direito, saber o que é a figura do advogado e aquele Órgão que o regulamente”, destacou.

Para a acadêmica Patrícia Santos, é fundamental que o operador do Direito seja inserido dentro do código de Ética e no Estatuto da OAB. “Essa inserção nos faz familiarizarmos e respeitarmos a conduta do advogado. Dessa forma, ter esse contato com o Código de Ética, é imprescindível de forma que possamos nos amadurecer e adaptar com o futuro que nos espera”, concluiu a estudante.

Marco Freitas

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *