O Estágio Básico l é o primeiro contato que os acadêmicos têm com a profissão. O objetivo geral é o desenvolvimento de um conjunto de competências básicas que envolvem práticas articuladoras do saber/fazer psicológico. A proposta do Estágio Básico é, portanto, para que o aluno tenha uma primeira inserção no campo profissional da Psicologia. Ele propõe o desenvolvimento das competências para a profissão, algo importante para os acadêmicos.

De acordo com a docente e supervisora de estágio Cida Silveira, esse momento é relevante para somar com o conteúdo teórico.  “Os alunos têm uma série de disciplinas com conteúdos que somam na hora da prática. A proposta do primeiro estágio é colocar em ação tudo o que aprenderam em sala de aula, por isso, os resultados são tão satisfatórios”, enfatiza.

Para os acadêmicos que ainda estão em dúvida sobre qual área devem seguir dentro do curso escolhido, ou aqueles que ainda possuem dificuldades para lidar com a profissão, a resposta pode vir logo depois da parte prática do curso.

Luanda Tiago é acadêmica do 5º período de Psicologia e fez parte da turma do estágio, ela relata a superação de sua dificuldade. “No início tinha certo receio, pelo fato de ter dificuldades com a oratória, porém, consegui superar, hoje me sinto mais preparada, feliz e animada para começar a atuar na profissão, quero fazer logo o próximo estágio”, diz a acadêmica.

Para a aluna Noeli Sobral, o estágio fez com que se apaixonasse ainda mais pelo curso. “Foi uma experiência incrível, e gratificante, aprendemos muito com esse estágio além da oportunidade de ajudar tantas famílias e perceber que esses pacientes também ficaram gratos”, diz.

Durante o estágio, uma turma ficou responsável por acompanhar as crianças. Enquanto isso, a outra turma fazia o acompanhamento com os pais, para que eles possam saber com lidar com o momento que o filho vive a participação da família no processo de visitas ao psicólogo é imprescindível.

A dona de casa, Elisa Ramalho, sabe bem como é importante, ela acompanhou a filha de 11 anos nas reuniões e conta sobre a experiência. Houve uma grande evolução e foi gradativa de acordo com as reuniões. “Minha filha passou a praticar os exercícios em casa com toda a família. Estou muito feliz, pois nossa relação melhorou bastante. Estamos bem mais próximas do que antes, até o pai acompanhou, envolveu toda a família, foi muito bom e quero continuar”, ressalta.

Ao final do estágio, a docente e supervisora de estágio Cida Silveira e os acadêmicos promoveram uma confraternização para as famílias acompanhadas nesse semestre. A turma do 5º período estava animada e grata pela supervisão de Cida Silveira que os ensinou os primeiro passos da psicologia prática nas relações sociais, no trabalho e inclusive na participação da família na escola.

Gabriele Santos

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *