Nas aulas práticas, os cuidados com pacientes são experiências que geram ansiedade nos acadêmicos. Para alguns alunos, a inexperiência, o medo de cometer erros e condições de avaliação é algo freqüente, mas todos devem passar por estas atividades, que fazem parte de um momento decisivo para os estudantes.

Pensando nisso, o docente da disciplina de Fisioterapia Aplicada em Cardiologia, Geraldo Valle promoveu uma simulação de atendimento ao paciente cardiopata.  A simulação foi feita com os acadêmicos do 8º período.

“É uma simulação para saber o desenvolvimento que o paciente cardiopata obteve durante o processo de reabilitação, saber se os resultados são satisfatórios e se estão respondendo ao tratamento”, explica Geraldo Valle que completa: “Para a simulação os acadêmicos utilizaram o aparelho chamado Oximetro de dedo usado para a medição da frequência cardíaca e saturação do oxigênio”, finaliza.

Este é um momento importante para os acadêmicos, pois mesmo não lidando com um paciente real, essa simulação vai auxiliar nas próximas etapas, inclusive no estágio prático.

“Há sempre uma insegurança para lidar com o paciente, semestre que vem vou passar pelo estágio supervisionado, essas simulações funcionam como uma preparação para o estágio do próximo semestre, diz Maryhellen Santos Magalhães, acadêmica do 8º período de Fisioterapia, que ainda enfatiza: “Aprendemos não só a atender as pessoas, mas, oferecer um atendimento de qualidade e mais humanizado, ouvir, compreender e respeitar o paciente”, diz

Gabriele Santos

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *