Hidrocinesio  é uma área especifica da fisioterapia que se baseia em tratamento seco e molhado. A Cinesioterapia é o tratamento através dos movimentos, alongamentos e fortalecimento. No caso da Hidrocinesio, o espaço da piscina que a Clínica Escola do campus Amazonas possui, é ideal para realizar este procedimento. Além de utilizar as propriedades da água que é aquecida para melhorar o relaxamento muscular, a flutuação tira a pressão e sobre carga das articulações.

O supervisor de estágio Vinícius Abreu relata que, no sexto período, a Hidroterapia é o primeiro estágio dos acadêmicos de Fisioterapia. “Esta é uma área tranquila, mais voltada para reabilitação e função dos movimentos do paciente, como, por exemplo, a tendinite, que é sobrecarga dos movimentos”, ressalta o especialista que completa: “Depois, no sétimo período, são realizadas as atividades de Ortotraumatologia com casos mais graves. A parte de Hidrocinesio é feita para reabilitar as funções, por isso, não utilizamos nenhum aparelho para cicatrização, ultrasom, entre outros”, conclui.

Segundo o supervisor, esse estágio é mais voltado para a parte de função, movimento e funcionalidade do paciente. Além disso, ele diz que o perfil desses pacientes são aqueles que não conseguem executar as AVDs – Atividades de Vida Diárias.

Vinicius relata que no estágio os acadêmicos tentam restabelecer essas funções de uma forma tranquila e de acordo com dificuldades do paciente. “Todos os pacientes são encaminhados por um médico, passa-se por uma triagem para saber como tratar, quando é um caso da hidrocinésio, os pacientes são direcionados para a clínica escola”, diz.

Dona Cleonice Batista, é cuidadora de idosos e há dois meses faz o tratamento de Hidrocinésio na Funorte, para tratar uma tendinite em um dos braços. “Eu comecei a sentir dor no braço no ano de 2012, e foi quando fui ao médico e descobrir que era uma tendinite, acredito que isso começou devido trabalhos de rotina, como  limpar a casa, lavar roupa”, diz.

Cleonice Batista relata que desde que começou o tratamento na clínica escola da Funorte, (foi encaminhada pelo ortopedista que diagnosticou a tendinite), ela sente-se mais confortável com alguns movimentos que antes a incomodava, graças aos procedimentos utilizados pelos acadêmicos de Fisioterapia.

A acadêmica do sexto período Paloma Ferreira, acompanha Dona Cleonice no tratamento. “É uma satisfação poder ajudar os pacientes no alívio das dores. Para isso, sempre temos um controle de procedimentos direcionado e elaborado para cada caso clínico. Todas as etapas são acompanhadas pelos supervisores de estágio”, afirma. Segundo o supervisor, cada acadêmico atende em média três a quatro pacientes por dia, depende da dinâmica do estágio.

Gabriele Santos

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *