Seguindo a programação da “Semana Integrada de Atividades Acadêmico-Profissionais- SIAP 2017”, acadêmicos do curso de Direito Funorte participaram de minicurso com o tema “Técnicas de Memorização”, ministrado pelo professor Edmilson Araújo Rodrigues.

Segundo a coordenadora adjunta do curso, Kátia Gusmão, técnicas de memorização são importantes, pois acompanham o acadêmico até a vida profissional. “Estes métodos seguem para a vida, principalmente para o operador do Direito, já que elas passam a fazer parte da nossa rotina”, frisou.

Durante a palestra, Rodrigues destacou que o acadêmico convive diariamente com uma significativa quantidade de disciplinas e leis e, por isso, as técnicas se tornam fundamentais em seu aprendizado.

 “Por meio da técnica de memorização, o aluno é capaz de sistematizar os artigos e conteúdos das matérias estudadas por meio de um aprendizado mais dinâmico e sistêmico que contribui para um raciocínio mais rápido. Nessa perspectiva, o procedimento de memorização, aliado com o planejamento dos estudos, será fundamental para que o estudante tenha um rendimento satisfatório, contribuindo para um ótimo aproveitamento do curso de direito”, diz o docente.

Ele ressalta, ainda, que estas técnicas são importantes não somente na academia, como também para a vida profissional. “Concluída a graduação, o bacharel em direito terá novos desafios como: o exame da Ordem; Concursos Públicos e o Exercício da profissão. Dentro desse aparato de possibilidades, o egresso, já devidamente preparado por meio de técnicas de memorização e planejamento de estudos, será capaz de dar sequência aos estudos e aprimorar os mecanismos de memorização para prova da OAB e concursos”, afirma.

Danilo Borges Lopes, acadêmico do 4º período, conta que métodos de memorização fazem muita diferença para o acadêmico de Direito, pois evitam que informações importantes sejam esquecidas. “O curso de memorização ensina o aluno a ampliar a absorção de informações, de forma que as guarde e as tenha sempre em mente. E, como a graduação de Direito exige do acadêmico muita leitura, são muitos livros para ler e muitas leis para aprender, chega um momento que nossa mente cansa e não consegue gravar ou absorver grande parte daquele conteúdo”, finalizou o estudante.

Greiciely Rodrigues

 

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *