Alunos, professores e coordenadores da Funam promoveram, na manhã desta sexta-feira (22), mais uma etapa do projeto “Universitário Sangue Bom”. O projeto visa reforçar a importância da doação de sangue, sensibilizar novos doadores e fidelizar os que já existem. Assim, o objetivo é fazer com que os discentes, docentes, corpo técnico-administrativo e comunidade tenham a doação de sangue como um hábito. A campanha solidária se desenvolve através do desejo dos seus participantes em ajudar o próximo e conta com o apoio e colaboração da Secretária Municipal de Saúde de Pirapora.
O professor Eder Danilo, um dos organizadores do projeto ao lado da coordenadora do curso de Administração Domingas Elizabete, fala sobre o propósito e a importância do grupo. “Nosso intuito é que a comunidade piraporense se sensibilize pela causa da doação de sangue e venham participar conosco, fazer essa intervenção que é tão necessária. Sabemos que infelizmente a quantidade de bolsas que são oferecidas no município são poucas, e com isso procuramos fazer a nossa parte. Acreditamos que esse projeto contribui para o acadêmico quando ele se propõe a ajudar o próximo e, principalmente, a comunidade que tanto necessita dessa ajuda”, explica.
De acordo com a coordenadora de Extensão e supervisora do projeto, Dayany Alkimim, a solidariedade e empenho dos acadêmicos cooperam para toda a mobilização e desenvolvimento da campanha que já possui grande reconhecimento. “Toda a cidade de Pirapora se motiva para participar do projeto. E hoje coincidiu que a instituição está concorrendo a um selo de responsabilidade, nos já temos este selo nos anos de 2016 e 2017, e estamos buscando mais uma vez conquistar este selo de responsabilidade social”, relata.
Leyde Dayana é acadêmica do 1º período de Administração. Hoje foi a sua primeira experiência em transfusão de sangue. A estudante revela que foi um momento especial, e já pretende voltar em outras oportunidades. “Adorei ter vindo, quero continuar nesta caminhada para poder salvar mais vidas. Acredito que o pouco tempo que tiramos para vim doar não é uma dificuldade se comparada com a necessidade daqueles que precisam do sangue”, diz. A acadêmica agradece a Funam por ter concedido a oportunidade para a doação. “Queria deixar um agradecimento a Funam e todos os envolvidos que possibilitaram aos estudantes este momento. Estão todos de parabéns”, conclui.

Wallace Borges

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *